Bela corrida de Hamilton. Pódio definido na largada.

liviooricchio

27 de abril de 2008 | 17h52

27/IV/08
Livio Oricchio, de Barcelona

Início

Um piloto em particular estava feliz, ontem, depois da prova: Lewis Hamilton. “É ótimo e importante voltar ao pódio”, disse. Terminou em terceiro, mesmo largando em quinto. “Estou surpreso com nosso ritmo, com o equilíbrio do carro, com a nossa proximidade com a Ferrari, não esperava.” As etapas da Malásia e de Bahrein, quando foi 4º e 13º, lançaram dúvidas sobre o que faria na temporada.

O pódio foi roubado, em essência, na largada, ao ganhar a posição de Robert Kubica, da BMW. Fernando Alonso, da Renault, na sua frente também, não conseguiria manter-se por estar com pouca gasolina. “Ficamos lado a lado e ultrapassei Robert, o que não é fácil porque o conheço da Fórmula 3. Ele é bastante agressivo na primeira volta.” Num circuito onde as ultrapassagens são bastante difíceis, sabia que poderia se manter em terceiro, mesmo se Kubica estivesse mais veloz. E foi o que aconteceu. Hamilton é segundo no campeonato, com 20 pontos, dois a mais de Felipe Massa, quarto.

Já Kubica não confirmou a impressão inicial de que se tivesse se mantido à frente de Hamilton na largada, por estar em quarto no grid, poderia abrir do adversário. “Não creio. Fiz a corrida toda no limite. Se não tivesse perdido a posição ficaria na sua frente, mas nossa diferença não seria distinta.” O polonês reclamou da pouca eficiência do seu carro na largada. “Eu larguei bem, mas quando engatei a segunda marcha Hamilton começou a me ultrapassar. Nosso problema não é nos primeiros metros, mas pouco depois.” Kubica tem 19 pontos e está em terceiro no Mundial.

O quarto lugar quebrou a série de pódios seguidos dele e da BMW. Kubica havia sido segundo na Malásia e terceiro em Bahrein. Na abertura do Mundial, na Austrália, o outro piloto da BMW, Nick Heidfeld, chegou em segundo. Ontem Heidfeld teve de cumprir um stop and go por entrar no box quando não estava aberto, na 24ª volta. O safety car estava na pista por causa do acidente com Heikki Kovalainen. “Estava sem gasolina, sabia que seria punido, mas não havia saída.” Acabou em nono. Com o resultado, caiu da vice-liderança para quinto, com 16 pontos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.