BMW já está na frente da McLaren e nem tão longe da Ferrari

liviooricchio

06 de abril de 2008 | 17h35

06/IV/08
GP de Bahrein
Livio Oricchio, de Manama

A Ferrari do campeão do mundo e atual líder do Mundial de Pilotos, Kimi Raikkonen, ou a McLaren, do vice-campeão, Lewis Hamilton, qual das equipes é a líder do Campeonato de Construtores depois de três etapas disputadas? Resposta: nenhuma das duas. É a surpreendente BMW, do talentoso Roberto Kubica, polonês de 23 anos, terceiro, ontem, e do eficiente Nick Heidfeld, quarto e agora vice-líder entre os pilotos. Já a decepção tem sido a McLaren, apesar da vitória na abertura da temporada, em Melbourne.

“O mais impressionante é que no início dos testes com o novo carro os resultados foram tão desanimadores que imaginávamos ter andado para trás”, diz Kubica. Ontem ele largou na pole, mas perdeu o primeiro lugar logo sem seguida para Felipe Massa. “Já na volta de alinhamento para o grid vi que estávamos com problemas na embreagem porque as rodas patinavam muito”, falou.

Não daria para enfrentar a Ferrari de Massa, comentou, mas manter Kimi Raikkonen atrás de si e terminar em segundo seria possível. O finlandês o ultrapassou no fim da reta, no início da terceira volta. “Não me avisaram que havia óleo na pista na passagem anterior e além disso passei sobre restos de carenagem que me levaram a acreditar que havia furado um pneu”, explicou. “Isso facilitou a ultrapassagem de Raikkonen.”

Sábado já havia feito história com o jovem time alemão ao estabelecer a primeira pole position dele e da equipe. Mario Theissen, diretor da BMW, demonstrou alguma emoção com o resultado, coisa rara no alemão: “Foi o terceiro pódio em três provas, algo sob medida para nós. É prazeroso ver que a diferença para quem está ainda na nossa frente não é grande”, afirmou. Kubica recebeu a bandeirada apenas 4 segundos e 998 milésimos atrás de Massa. A BMW soma 30 pontos enquanto a Ferrari tem 29 e a McLaren, 28.

O time de Hamilton e do finlandês Heikki Kovalainen aproveitou-se da má performance da Ferrari, na Autrália, e venceu. Depois disso, o máximo que conseguiu foi um terceiro e um quinto lugares na Malásia e outro quinto ontem, com Heikki Kovalainen. Pior: seu ritmo de corrida já ficou para trás em relação à BMW. Sem falar que de 2007 para cá o salto da Ferrari foi bem maior. As duas lutaram pelo título ano passado.

Hamilton assumiu a culpa por não ter marcado pontos: “Prejudiquei minha equipe. Começou com o acidente, sexta-feira. Hoje, não acionei no tempo certo a programação de largada do motor e perdi várias colocações”, explicou. “A seguir, me envolvi num acidente com Fernando Alonso, coisa de corrida.” Hamilton caiu de primeiro para terceiro no campeonato, com a mesma pontuação de Kubica e Kovalainen, 14, e dois a menos do regular Heidfeld. Massa vem a seguir, 10. Raikkonen está na frente com 19.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.