Button conquista a pole em treino espetacular

liviooricchio

23 de maio de 2009 | 12h43

23/V/09
GP de Mônaco
Livio Oricchio, de Mônaco

Foi o treino de classificação mais espetacular até agora na temporada. Jenson Button, da Brawn GP, líder do Mundial, ficou quietinho até a última parte e, de repente, atacou para conquistar a pole position do GP de Mônaco, a quarta dele em seis disputadas este ano. Mas não será fácil ganhar, hoje, pela quinta vez no campeonato. A concorrência será duríssima. Ao seu lado larga o surpreendente Kimi Raikkonen, da Ferrari, 25 milésimos de segundo mais lento, e em terceiro o companheiro de Brawn GP, Rubens Barrichello, 175 milésimos atrás.

As duas sessões livres de quinta-feira e a de ontem de manhã nos desafiantes 3.340 metros do circuito do principado já haviam indicado a existência de vários candidatos a largar na primeira fila. A mesma imprevisibilidade do que pode ocorrer se estende, hoje, para as 78 voltas da corrida, com largada às 9 horas, de Brasília, e transmissão ao vivo pela TV Globo. “Dei uma das voltas mais fantásticas da minha vida”, disse Button. Recebeu os cumprimentos do companheiro de equipe: “Eu não deixei um cabelo entre as rodas do meu carro e o guardrail, meu carro está ótimo, não tinha como ser mais rápido, não sei onde o Button foi buscar esse tempo”, comentou Rubinho.

Entre os dois está Raikkonen, que deu o tom do que fará hoje: “Não tenho nada a perder, não estou na luta pelo título, meu objetivo é a vitória, é para isso que vou largar”. O finlandês soma apenas 3 pontos do sexto lugar no GP de Bahrein, diante de 41 de Button e 27 de Rubinho. “A Ferrari está muito rápida aqui, vencer será, sim, possível.”

O alemão Sebastian Vettel, com a nova versão do carro da Red Bull, agora também com duplo difusor, sai da quarta colocação no grid. Felipe Massa não gostou de ser apenas o quinto, ontem. “Estou mais pesado que o Kimi, lógico, mas mesmo assim eu poderia ter sido mais rápido do que fui, encontrei o Mark Webber (Red Bull) na frente e perdi tempo”, explicou o piloto da Ferrari. Na realildade, deu sorte de chegar à parte final do treino porque, na primeira, tocou o guard-rail e por pouco não fica ali. “Usava freios novos e, ao brecar, na piscina, o carro saiu de traseira e danifiquei o aerofólio dianteiro.”

As estratégias de corrida, em Mônaco, são bem particulares. Os pilotos perdem muito tempo ao regressar à pista em seguida a seus pit stops por não conseguir ultrapassar. Por isso, a vantagem de Rubinho, provavelmente com uma volta a mais de Button, assim como a de Massa, em relação ao companheiro, tendem a ser menos decisivas que em outras pistas. “Acredito que a disputa será apertadíssima, as diferenças de tempo são mínimas e ter mais ou menos gasolina significa menos nesse traçado”, afirmou o pole position.

O campeão do mundo, Lewis Hamilton, da McLaren, deveria estar dentre os primeiros, em função do que fez nos demais treinos. Mas vai largar apenas em 16.º. “Não sei onde estava com a cabeça, simplesmente errei.” Na curva Mirabeau, logo no início da sessão, perdeu o controle da McLaren e bateu de traseira. “Minha chance de vencer aqui (como fez no ano passado) acabou.” Nelsinho Piquet, da Renault, fez o 12.º tempo enquanto as duas últimas filas são da BMW e da Toyota.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: