Campeonato está longe de definido, apesar da vantagem de Alonso

liviooricchio

22 de julho de 2012 | 20h08

22/VII/12
Livio Oricchio, de Hockenheim

A vitória de Fernando Alonso, ontem, em Hockenheim, o levou a expressiva vantagem na classificação, 154 pontos diante de 120 de Mark Webber, e 110 de Sebastian Vettel, da Red Bull. O GP da Alemanha determinou o fim da primeira metade do campeonato. Já se perguntava ontem, na Fórmula 1, depois da prova, se Alonso pode impor-se de forma a definir a conquista do título bem antes do que se imaginava diante da impressionante competitividade das primeiras etapas, com sete vencedores distintos, de cinco equipes diferentes, nas sete provas iniciais do calendário.

“Essa vantagem não significa nada”, afirmou, ontem, Alonso. “Há ainda outro campeonato pela frente. Basta eu não marcar pontos em uma corrida, o que pode acontecer, claro, e um dos adversários nessa luta vencer ou marcar bons pontos para tudo mudar”, completou. “E vimos como as coisas se alternam rápido ultimamente. Lewis era líder depois de Montreal e agora perdeu um pouco de contato. Mas o vejo como forte concorrente ao lado dos pilotos da Red Bull.” Hamilton caiu para a quinta colocação, com 92 pontos. Kimi Raikkonen, da Lotus, o ultrapassou. Quarto, agora, com o terceiro lugar de ontem, 98 pontos. Alonso foi o único piloto, dos 24 da Fórmula 1, que marcou pontos em todos GPs.

O calendário apresenta dez corridas ainda. A próxima é já domingo em Budapeste. Quando Alonso colocou Hamilton entre os pilotos potencialmente capazes de surgir no fim com chances de ser campeão não estava brincando. O ritmo de Hamilton e do companheiro, Jenson Button, o deixou assustado. “Não éramos os mais velozes hoje na pista”, comentou Alonso. Button não o ultrapassou na 56.ª volta, quando estava em segundo, seis décimos de segundo atrás, por ter exposto seus pneus a esforços maiores que os de Alonso, em razão de ter largado em sexto e exigir muito deles para se aproximar dos dois primeiros, o piloto da Ferrari e Vettel. Depois da 40.ª volta, quando fez seu segundo pit stop, passou registrar com regularidade tempos melhores que dos dois.

“Se tivéssemos tido um fim de semana mais normal, pudéssemos trabalhar mais nosso carro na pista seca antes da corrida, penso que teríamos sido ainda mais velozes”, falou Button. Parece mesmo proceder. Com apenas 68 pontos, 86 a menos de Alonso, o campeão do mundo de 2009 está quase fora da luta, mas esse não é o caso de Hamilton. E há outro ponto importante na corrida pelo título: com o resultado de ontem, na Alemanha, Vetell ficou a apenas 10 pontos de Webber. Se Vettel ultrapassar o australiano nas próximas etapas, a Red Bull deve concentrar suas atenções no seu trabalho, ao menos foi assim nos dois últimos anos, o que o poderia tornar a vida de Alonso mais complicada.

Em resumo, apesar do momento excepcional do piloto espanhol e da impressionante evolução do modelo F2012 da Ferrari, há muita corrida pela frente, ainda, e adversários até mais bem preparados tecnicamente que a Ferrari, como a Red Bull e agora a McLaren.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.