Ecclestone diz que Haddad lhe enviou carta garantindo reforma de Interlagos

liviooricchio

19 de abril de 2013 | 16h56

19/IV/13
Manama, Bahrein

Bernie Ecclestone, promotor da Fórmula 1, prometeu dar mais detalhes amanhã sobre o andamento das negociações com a Prefeitura de São Paulo para garantir a realização do GP do Brasil em Interlagos, em 2015.

Hoje, ao entrar na sala de imprensa do circuito de Sakhir, onde amanhã será disputada a classificação para o grid do GP de Bahrein, foi questionado por jornalistas de várias nações sobre a possibilidade de São Paulo perder a prova se o prefeito Fernando Haddad não realizar as obras necessárias no autódromo, conforme o Estado publicou, com exclusividade, segunda-feira: “Acabei de receber uma carta dele. Está garantindo que irá refazer todas as instalações lá, o que é bom.”

O contrato da manutenção da prova termina em 2014, mas Ecclestone disse ao Estado que para levar o evento a um país é preciso que as condições do autódromo, exigidas pela FIA, sejam atendidas, daí a ameaça de, mesmo tendo contrato, a Fórmula 1 não se apresentar em São Paulo no ano que vem. “Estamos vivendo já outra realidade em relação ao GP do Brasil”, afirmou ontem ao Estado seu assessor direto, Pasquale Latunedu. “As coisas avançaram”, afirmou, sem dar mais informações.

Para os jornalistas, Ecclestone disse, ainda, ontem: “Esperamos já o suficiente. Se São Paulo fizer o que eles estão dizendo que irão fazer não precisamos sair de lá”. Para a edição deste ano não há previsão de nenhuma obra relevante. Mas para 2015 a expectativa é de que sejam construídos novos boxes e, principalmente, novas áreas destinadas às equipes, a maior queixa dos profissionais da Fórmula 1. Tudo seria, em princípio, feito ao longo da Reta Oposta.

Sobre o GP de Bahrein, há quase unanimidade dentre os pilotos que a luta pela vitória, domingo, ou mesmo a definição do grid, amanhã, deverá ser a mais disputada até agora no campeonato. A etapa no circuito de Sakhir é a quarta do calendário. A classificação amanhã às 8 horas, horário de Brasília, 14 horas em Manama, capital do Bahrein.

Hoje, nos treinos livres, Felipe Massa, da Ferrari, foi mais veloz de manhã e Kimi Raikkonen, Lotus, à tarde. “Mas Red Bull e Mercedes estão também no páreo”, previu Rubens Barrichello, ao Estado, agora como comentarista da TV Globo. O piloto chegou ao paddock e vários amigos, formados em quase 20 anos de relação, foram saudá-lo.

A Pirelli levou para Bahrein seus pneus mais apropriados a exigências extremas, os duros e os médios. “Mesmo assim, com o calor e o tipo de pista, a degradação dos pneus traseiros é grande”, explicou Massa. “Na China os dianteiros acabavam logo.” Ecclestone confirmou, ontem também, que prefere o atual modelo de competição, proporcionado por esses pneus, ao previsível de antes. “Não vamos mudar nada.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.