Equipes e promotores reclamaram e o calendário foi refeito

liviooricchio

31 de agosto de 2011 | 17h09

31/vIII/11

Livio Oricchio, de Nice

  Representantes das equipes e dos promotores das corridas reclamaram e a FIA, em comum acordo com Bernie Ecclestone, da Formula One Management (FOM), refizeram o calendário da próxima temporada. O novo foi anunciado ontem. O campeonato terá, em princípio, 20 etapas. A dúvida é o GP de Bahrein, quarto do ano, dia 22 de abril, em razão da situação política do país árabe.

  Dificuldades logísticas e custos elevados. Esses foram os argumentos dos times para que FIA e FOM revissem o pré-calendário anunciado há pouco mais de um mês. Já promotores, com o da Índia, argumentaram que a prova em abril, como prevista, exporia todos a temperaturas excessivamente elevadas. Assim, o novo calendário representa uma solução de compromisso entre os vários interesses existentes na competição. Mas nem tudo certamente agradou e haverá reclamações, em especial porque serão sete dobradinhas, corridas disputadas em domingos consecutivos.

  Duas grandes novidades: a saída do GP da Turquia, com seu espetacular circuito, Istambul Park, e a volta do GP dos Estados Unidos, num autódromo em construção em Austin, no Texas, com investimento estatal, o que está gerando protestos. Será a penúltima do campeonato, dia 18 de novembro, uma semana antes da prova de Interlagos, dia 25. Questões logísticas serão mais uma vez lembradas pelas escuderias.

  Turquia saiu por causa de o governo turco não concordar com os novos valores cobrados pela FOM para assinar um novo contrato, bem mais elevados que os anteriores. Na Fórmula 1 comenta-se que passaria de US$ 13 para US$ 26 milhões (R$ 40 milhões), a taxa por ano para receber o evento.

  Decidiu-se que o intervalo de paralisação será maior que este ano. A etapa da Hungria, 11.º, está programada para dia 29 de julho. Mas a seguinte, Bélgica, apenas dia 2 de setembro. Em agosto inteiro não haverá atividade de pista para a Fórmula 1.

  O calendário:

  Março, 18, Austrália, 25, Malásia; abril, 15, China, 22, Bahrein; maio, 13, Espanha, 27, Mônaco; junho, 10, Canadá, 24, Europa; julho, 8, Grã-Bretanha, 22, Alemanha, 29, Hungria; setembro, 2, Bélgica, 9, Itália, 23, Cingapura; outubro, 7, Japão, 14, Coreia do Sul, 28, Índia; novembro, 4, Abu Dabi, 18, EUA, 25, Brasil.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.