Está ficando cada vez mais claro: o título será de Raikkonen ou Massa.

liviooricchio

28 de abril de 2008 | 23h22

28/IV/08
Amigos, esse é o texto da minha coluna de hoje, segunda-feira, no Jornal da Tarde

Outra dobradinha da Ferrari, ontem na Espanha. Outra perigosa dobradinha da Ferrari. Não fosse o erro de Felipe Massa no GP da Malásia, vencido por Kimi Raikkonen, a Ferrari teria também feito primeiro e segundo. Ou seja, nas duas últimas etapas, Espanha e Bahrein, ganhou tudo, e na Malásia apenas circunstancialmente não se impôs de forma total.

Dia 11 a Fórmula 1 se desloca para Istambul. Massa ganhou o GP da Turquia nos dois últimos anos e, em 2007, Raikkonen foi segundo. Se em 2007, que a vantagem da Ferrari sobre seus adversários não era como nesta temporada, Massa e Raikkonen venceram com dobradinha, a lógica sugere que, dia 11, ambos não deverão grandes dificuldades para outro primeiro e segundo. O que está em aberto é apenas essa ordem.

Em resumo: o campeonato caminha por ser um solo dos italianos. E somente a disputa entre Massa e Raikkonen manter todas as atenções sobre quem será campeão. Há inúmeros exemplos na Fórmula 1 de mudanças significativas de ordens de forças durante o campeonato.

Quem se lembra da temporada de 2003, em que a Williams, com Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher, davam sinais evidentes de poderem bater Michael Schumacher e a Ferrari? E o que aconteceu depois do GP de Mônaco? A Michelin teve de rever seus pneus, depois de um protesto da Ferrari, e a partir daí só deu o alemão: Ferrari campeã.

Agora pode ocorrer de os adversários reverterem a situação, embora seja mais difícil, por haver monomarca de pneus, congelamento no desenvolvimento dos motores, limitação severa de testes, eletrônica padrão para todos. Onde uma equipe pode, de repente, transformar um carro para torná-lo bem mais veloz é a aerodinâmica. Mas as regras de aerodinâmica são relativamente antigas e novas descobertas geniais são pouco prováveis.

Assim, diante desse cenário quase estático, a possibilidade de a Ferrari manter sua vantagem técnica é grande. Pode até ser reduzida, mas dificilmente perdida. Para quem gosta de um bom pega pela vitória, está sobrando apenas a disputa entre Raikkonen e Massa. Daí “perigosa dobradinha, ontem, na Espanha”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.