Estamos longe de poder chamar a Brawn GP de campeã

liviooricchio

29 de março de 2009 | 12h11

29/III/09
Coluna de Livio Oricchio para o JT

Ross Brawn comentou com um grupo de jornalistas que conversava com ele, ontem, no início da noite, no circuito: “Vocês vão ver como os carros evoluirão de forma impressionante este ano. O regulamento está muito fresco ainda, nós apenas começamos descobrir os caminhos a serem seguidos”. Disse em resposta à pergunta sobre o desenvolvimento dos carros das equipes adversários, se eles chegariam na Brawn.

Outro engenheiro, Aldo Costa, responsável com Nikolas Tombazis pelo modelo F60 da Ferrari, comentou algo semelhante: “Este ano vamos assistir a impressionante diferença de performance entre o início e o fim do campeonato. Se trouxessemos nosso carro para cá depois da prova de Abu Dhabi (última do calendário, dia 1.º de novembro), seríamos impressionantemente mais rápidos que hoje”.

Por que escrevi isso? Para dizer que a vantagem da Brawn GP é extraordinária, o projeto é de um refinamento pouco comum, mas muita coisa vai mudar ainda no campeonato. Pessoalmente estou adorando ver um time novo, diferente dos que quase sempre monopolizam as vitórias, se impondo na competição. É saudável. Mas não creio que as demais 17 etapas serão como a daqui em Melbourne.

Apostaria até que no próximo domingo a Brawn possa impor uma vantagem maior que na corrida de ontem, por causa das características da pista de Sepang, com suas curvas longas e velozes e mudanças rápidas de direção. Mas a hora que chegarmos à Barcelona, para a etapa do dia 10 de maio, assistiremos quase que a um novo início do campeonato.

Boa parte da soluções que os projetistas viram de bom na concorrência na Austrália, e agora na Malásia, China e em Bahrein será de alguma forma incorporada a seus carros. Se o Tribunal de Apelações da FIA, dia 14, confirmar a legalidade dos difusores da Brawn, Toyota e Willliams, como acredito, a maioria das escuderias adotará solução semelhante, já em estudos.
Por isso muita coisa irá mudar no andamento do Mundial e a ordem de forças entre as escuderias exposta no circuito Albert Park pode ser alterada substancialmente.