Felipe Massa, o mais rápido em Bahrein

liviooricchio

22 de fevereiro de 2007 | 13h19

Não foi aquele calor que todos irão enfrentar nas corridas da Malásia e de lá mesmo, Bahrein, dias 8 e 15 de abril, mas de qualquer forma é melhor do que treinar na Europa, nos circuitos de Valência, Jerez de la Frontera e Barcelona. No primeiro dia dessa nova série de testes coletivos da Fórmula 1, ontem na pista de Sakhir, a cerca de 25 quilômetros ao sul de Manama, capital do Reino de Bahrein, no Golfo Pérsico, Felipe Massa, com a Ferrari F2007, continuou provando que pode disputar o título de campeão do mundo este ano.

A temperatura ambiente variou de 21 a 26 graus e a do asfalto ficou entre 23 e 33 graus Celsius.

Massa completou 86 voltas no traçado pouco emocionante de 5.412 metros, na simulação de uma corrida. O último GP lá, disputado dia 12 de março, abertura do último campeonato, teve 57 voltas. Na melhor das suas passagens, ontem, Massa registrou 1min31s766. Ele mesmo obteve na sessão de classificação, em 2006, 1min31s478, 2º tempo. A pole position ficou com seu companheiro, Michael Schumacher, 1min31s431. Nunca é demais lembrar que pelo atual sistema de classificação para o grid da Fórmula 1 os pilotos têm de iniciar a sessão com o volume de gasolina que depois haverá no tanque na largada. É permitido repor o volume utilizado nas voltas da parte final, onde estão apenas os 10 mais rápidos.

Ainda que se trate de apenas um teste, é bem verdade que Massa foi, de novo, mais veloz que o companheiro de Ferrari, o finlandês Kimi Raikkonen, como em quase todos os ensaios conjuntos até agora. Ontem Raikkonen completou 47 voltas e fez 1min31s901 na melhor, marca 135 milésimos de segundo pior que a de Massa. Pode até ser que quando o Mundial começar, dias 16, 17 e 18 de março, em Melbourne, a história mude, mas o que se percebe é que Massa tem, por enquanto, o F2007 mais na mão.

O finlandês já declarou que o carro funciona de maneira bem distinta da que estava acostumado na McLaren. É bom não esquecer que o time inglês competia com pneus Michelin e agora na Ferrari Raikkonen, como todos os pilotos, usam Bridgestone. Rubens Barrichello fez o caminho contrário, ano passado, ao se transferir da Ferrari para a Honda, e teve sérias dificuldades para adaptar-se. Não deve ser o caso de Raikkonen agora, ao menos na extensão de Rubinho, mas por enquanto o “homen de gelo” não se encontra 100% à vontade no cockpit do F2007.

Ontem Jenson Button e Rubens Barrichello queixaram-se publicamente da falta de velocidade do modelo RA107 da Honda. “Claramente não estamos no mesmo nível dos melhores”, afirmou Button. “O carro perde, de repente, aderência na parte traseira”, explicou Rubinho. Hoje, de repente, os dois aparecem dentre os 5 mais rápidos do dia. Das duas uma: ou a Honda os fez treinar com gasolina para apenas uma ou duas voltas e com pneus novos e macios ou o discurso da escuderia japonesa é um blefe.

Ano passado, na pré-temporada, Rubinho e Button estavam sempre dentre os melhores e o que aconteceu quando começou o campeonato? Um fiasco da Honda. Só na segunda metade da temporada conseguiu um bom estágio de desenvolvimento do RA106 que acabou por tornar-se um veloz e equilibrado modelo de Fórmula 1. Button foi o piloto que mais pontos conquistou nas 6 últimas etapas do Mundial.

Fico com a primeira hipótese: as condições dos monopostos de Rubinho e Button eram mais favoráveis para registrar um bom tempo. Aliás, o que esperar de uma organização de Fórmula 1 em que pergunto, desde o ano passado, quem é o projetista-chefe do modelo de 2007 e nunca obtenho resposta? Mais: o próprio site oficial da equipe aponta apenas o diretor-técnico, Shuhei Nakamoto, e não diz quem é o projetista-chefe. Desde a saída de Geoff Willis todos desejam saber quem é o responsável pelo modelo 2007. Continuamos sem saber. A “eficiência” do carro está mostrando quão acertada é essa decisão de omitir o projetista-chefe.

Amanhã Fernando Alonso assume o carro da McLaren. Hoje, Lewis Hamilton simulou corrida, com pit stop e tudo. Ele não tem experiência nessas complexas e decisivas operações. E ainda marcou um bom tempo. Ontem Massa comentou, no circuito de Sakhir, que enganam-se os que não considerarem a Renault como time capaz de continuar vencendo corridas.
Heikki Kovalainen completou o equivalente a dois GPs, 113 voltas, com 1min33s139 na melhor, o 11º. Nelsinho Piquet, 92 voltas, com 1min33s816, o 12º.

Pat Symonds, diretor de engenharia da Renault, admitiu que a troca dos pneus Michelin pelos Bridgestone lhes causou algumas dificuldades. Não nos long runs, ou nas séries seguidas de muitas voltas, mas na primeira do pneu novo, quando ele permite o máximo de aderência. Mas conhecendo a capacidade dos engenheiros da Renault, eles encontrarão a solução e não írá demorar muito.

Os treinos em Bahrein se estenderão até quinta-feira, dia 1, mas sábado e domingo haverá uma trégua. Depois disso, as equipes já embarcam parte de seus equipamentos para Melbourne. Os tempos de hoje:

1º Felipe Massa, Ferrari F2007………1min31s766 (86 voltas)
2º Kimi Raikkonen, Ferrari F2007…….1min31s901 (47)
3º Jenson Button, Honda RA107……….1min32s099 (83)
4º Lewis Hamilton, McLaren MP4/22……1min32s182 (83)
5º Rubens Barrichello, Honda RA107…..1min32s570 (101)
6º Pedro de la Rosa, McLaren MP4/22….1min32s621 (47)
7º Sebastian Vettel, BMW F1.07………1min32s652 (104)
8º Jarno Trulli, Toyota TF107……….1min32s787 (33)
9º Nick Heidfeld, BMW F1.07…………1min32s810 (49)
10º Anthony Davidson, Super Aguri SA07..1min32s396 (76)
11º Heikki Kovalainen, Renault R27……1min33s139 (113)
12º Nelsinho Piquet, Renault R27……..1min33s816 (92)
13º Mark Webber, Red Bull RB03……….1min34s077 (27)
14º David Coulthard, Red Bull RB03……1min34s595 (31)
15º Ralf Schumacher, Toyota TF107…….1min35s265 (35)
16º Vitantonio Liuzzi, Toro Rosso STR02.1min36s345 (25)

Amanhã tem mais!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.