'Ferrari vai sumir na corrida', diz Rubinho.

liviooricchio

22 de março de 2008 | 07h59

22/III/08
Frase de Rubens Barrichello, depois da classificação: “A Ferrari já estava muito na frente já em Melbourne. Eles tiveram problemas lá e isso acabou não aparecendo. Aqui na Malásia, se nada de diferente acontecer, eles vão desaparecer.”

Nos treinos de sexta-feira e sábado pela manhã, quando Felipe Massa e Kimi Raikkonen percorriam cinco, seis voltas seguidas, seus tempos eram pelo menos cerca de meio segundo melhor que os de Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen em condições semelhantes.

Vimos aqui no circuito de Sepang, também, Hamilton abusando de travar as rodas e até escapando da pista, na tentativa de aproximar seus tempos dos da Ferrari.

Na abertura do Mundial a Ferrari se apresentou como favorita e acompanhamos o que aconteceu. Portanto, apesar de a possibilidade de surpresas aqui ser menor que em Melbourne, a não ser que chova, salvo imprevistos Massa ou Raikkonen recuperam-se no campeonato.

Agora são 18h40 para mim na sala de imprensa, 7h40 de Brasília, chove e muito, quase noite, e quase todos os jornalistas aguardam o resultado do julgamento de Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen.

Na classificação foram acusados por Nick Heidfeld e Fernando Alonso de terem atrapalhado suas voltas lançadas. As imagens são claras: de fato, estavam na trajetória normal depois de terem já completado suas voltas rápidas. Sem desejar, acabaram interferindo no que Heidfelf e Alonso poderiam fazer.

Alonso comentou que não perdeu muito, até porque Mark Webber, à sua frente, foi quase 1,5 segundo mais veloz. Nas Heidfeld jura que seria terceiro no grid.

Se os comissários forem criteriosos, punirão os dois com a perda de cinco colocações no grid, como fizeram com Timo Glock na Austrália, por ter, atrapalhado Mark Webber. Assim, Kovalainen cairia de terceiro para oitavo e Hamilton, de quarto para nono.

Voltemos à Ferrari: se mesmo com a McLaren perto os indícios são de que não terá adversários, imagine com a dupla da McLaren lá atrás. Em outras palavras, a Ferrari só perde a corrida se for para ela mesmo. Mas nunca é demais lembrar que o time italiano é dirigido, agora, por “novatos” em relação à turma que saiu. Eu não apostaria todas as minhas fichas, apenas a maioria.

Ah, ia esquecendo. As equipes trabalham com a possibilidade de chuva apenas no fim da tarde e a corrida deve terminar, se tudo correr bem, 16h35. Hoje choveu um pouco depois desse horário também. No caso de prova com pista molhada muda quase tudo. Aliás, tem muita gente interessada em ver como é essa “nova Fórmula 1” na água.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.