Fisichella emocionou a todos

liviooricchio

30 de agosto de 2009 | 16h59

30/VIII/09
GP da Bélgica
Livio Oricchio, de Spa

Quem pensa que Giancarlo Fisichella estava feliz demais, ontem, por ter sido segundo no GP da Bélgica, com a Force India, é bom rever a forma de ver esse italiano de 36 anos e 224 GP no currículo. “É um grande resultado, junto com a pole position, ontem (sábado), sem dúvida, mas eu era o mais rápido da corrida. Perdi o primeiro lugar para Kimi Raikkonen (Ferrari) por causa do seu kers (sistema de recuperação de energia) quando o safety car saiu da pista”, disse, em tom triste até. A maior diferença para Raikkonen ao longo das 44 voltas foi um segundo e sete décimos.

Já o vencedor, Raikkonen, comentou: “Fisichella estava mais veloz, no fim usei o kers para ter mais velocidade no fim da reta e antes da freada do Bus Stop para me defender”. O finlandês não vencia desde o GP da Espanha do ano passado, há 25 GPs. Sua empatia com o circuito de Spa-Francorchamps é extraordinária: das cinco últimas edições da prova venceu quatro. Foi a 18.ª vitória na carreira. “Não existe segredo, apenas gosto dessa pista, é um verdadeiro circuito.”

Raikkonen pode ter novo companheiro de equipe já no GP da Itália, dia 13. Ninguém menos de seu adversário, ontem, Fisichella. Stefano Domenicali, diretor da Ferrari, disse: “Vamos ter já uma idéia a respeito da volta de Felipe Massa. E iremos pensar num piloto experiente para substituí-lo a fim de fazer pontos.” Pode ser que seja Fisichella. Outro italiano, Vitantonio Liuzzi, já piloto de testes da Force India, entraria no seu lugar. O que parece certo é que Luca Badoer não corre mais.

Massa passa hoje por consulta com o doutor Steve Olvey, em Miami. Tem consigo o resultado da tomografia realizada semana passada, em São Paulo. O neurologista da Fórmula Indy dará seu parecer sobre o retorno de Massa às pistas. Seu sonho é voltar no GP do Brasil, dia 18 de outubro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.