Fisichella: pole em Spa sugere ser uma mensagem à Ferrari

liviooricchio

29 de agosto de 2009 | 12h41

29/VIII/09
GP da Bélgica
Livio Oricchio, de Spa

O dia dos “velhinhos”. Assim pode ser definido o treino de classificação do GP da Bélgica, ontem, no circuito de Spa-Francorchamps. Giancarlo Fisichella, 36 anos, conquistou a mais surpreendente pole position dos últimos tempos na Fórmula 1, quarta da sua carreira de 223 GPs. Acostumada a larga na última colocação, sua equipe, a Force India, foi ontem a mais veloz, obteve a primeira pole position da sua história. Outro veterano, Jarno Trulli, 35 anos, da Toyota, ficou em segundo e o experiente Nick Heidfeld, BMW, 32, vai largar em terceiro.

O fim de semana no veloz e seletivo traçado de 7.004 metros continua gerando resultados não esperados. Ontem, por exemplo, Lewis Hamilton, da McLaren, vencedor na Hungria e segundo em Valência, fez apenas o 12.º tempo, Fernando Alonso, da Renault, outro campeão mundial, o 13.º, e o líder destacado do campeonato, Jenson Button, da Brawn GP, o 14.º. O primeiro piloto que luta pelo título no grid é Rubens Barrichello, companheiro de Button, quarto. “Não é que estou tão pesado assim”, confessou Rubinho.

Os favoritos para vencer a 12.ª etapa do calendário, a dupla da Red Bull, mais uma vez não apareceu dentre os mais velozes. Sebastian Vettel larga em oitavo e Mark Webber, em nono. “É preciso ver o peso de nossos concorrentes”, disse Webber. “Nessa pista a importância da gasolina é maior de na maioria das demais”, confirmou Vettel. A Red Bull dispõe do melhor carro no momento, mas enfrenta um sério problema: os dois pilotos estão usando seu sétimo motor, o limite para o campeonato é oito e restam, com a corrida de hoje, seis para o encerramento da temporada. A cada motor novo que a Renault lhes fornecer vão perder dez colocações no grid.

Fisichella, em festa, deixou no ar, ontem, a forte suspeita de que deseja mesmo impressionar a Ferrari para substituir o lento Luca Badoer no GP da Itália, em Monza, dia 13. “Seria um sonho, como foi essa minha pole, mas não fui procurado por ninguém da Ferrari ainda.” A Force India utiliza parte do equipamento da McLaren e os avanços que fizeram Hamilton reagir no Mundial estão agora no carro de Fisichella e seu companheiro, Adrian Sutil, 11.º ontem. “De manhã atropelei um coelho e meus mecânicos, ingleses, disseram que era sinal de sorte. Estavam certos”, disse, rindo, Fisichella.

Com Button na 14.ª colocação e a dupla da Red Bull com apenas dois motores até o fim do campeonato, Rubinho, caso consiga hoje somar bons pontos, tem chance real de se apresentar nas etapas finais com possibilidades de lutar pelo título. Button lidera com 72 pontos, Rubinho vem a seguir, 54, enquanto Webber soma 51,5 e Vettel, 47. A TV Globo transmite o GP da Bélgica ao vivo a partir das 9 horas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.