Gonzales, o primeiro piloto a vencer para Enzo Ferrari, morreu em Buenos Aires. Tinha 90 anos.

liviooricchio

15 de junho de 2013 | 17h27

15/VI/13
São Paulo

Amigos, esse mesmo material está editado e publicado na seção Esportes-Velocidade do portal www.estadao.com.br

Em maio de 1951, Enzo Anselmo Ferrari surpreendeu o mundo da Fórmula 1 ao convidar o argentino José Froilán Gonzales, de apenas 29 anos, extremamente jovem para os padrões da época, para pilotar seu modelo 375 no GP da França, nas estradas entre Reims e Gueux. Gonzales só havia disputado a etapa de abertura naquele ano, com Talbot-Lago T26C-GS, e se retirou da competição.

Esse argentino que decidiu seguir os passos do conterrâneo Juan Manuel Fangio, vice-campeão do mundo na temporada anterior, com Alfa Romeo 158, recebeu a bandeirada em segundo na corrida de estreia na Ferrari, em parceria com o italiano Alberto Ascari. O vencedor foi Fangio, com Alfa Romeo 159A, em dupla com Luigi Fagioli.

Enzo Ferrari gostou tanto do estilo de Gonzales que o manteve na equipe na etapa seguinte, o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone. Desta vez o Toro dos Pampas, como era conhecido, percorreria os 423 quilômetros da prova sozinho. Ferrari havia deixado o cargo de diretor esportivo da Alfa Romeo e em 1947 montou sua escuderia. Construía ele próprio os carros.

O modelo 375 foi concebido para vencer a poderosa Alfa Romeo com seu 159A, que depois ganhou uma versão B e M. Tudo em 1951. A Alfa Romeo ganhou com Giuseppe Farina o primeiro Mundial de Fórmula 1, em 1950. Da estreia de Enzo Ferrari com seu time no campeonato, no GP de Mônaco de 1950, o já famoso italiano não tinha celebrado, ainda, uma vitória.

A corrida de Silverstone foi disputada no dia 14 de julho de 1951. O pole position no veloz traçado de 4,7 quilômetros, criado três anos antes unindo as pistas de pouso e decolagem de um aeródromo, construído para treinar pilotos de bombardeiros no início da Segunda Guerra Mundial, foi Gonzales. Seu tempo: 1min44s4. Imagens da época mostram um homem robusto, mesmo gordo, pode-se dizer.

E nova surpresa: Gonzales completou as 90 voltas da corrida em Silverstone em 2 horas, 42 minutos, 18 segundos e dois décimos. Primeiro colocado! Fangio cruzou a linha 51 segundos atrás. Enzo Ferrari não estava lá. Em seu livro “Piloti, che gente” contou não gostar de deixar a Emilia, sua região de origem e onde passou os 90 anos de vida.

Numa conversa com o Estado, em 1996, um motorista de Enzo Ferrari, taxista em Maranello, disse ter ouvido do Comendador numa ter andado de avião.

Em Modena, sua cidade, Enzo Ferrari celebrou como nunca a primeira vitória de um carro construído por ele mesmo, para vencer a Alfa Romeo. Fangio, em segundo, ainda era piloto da concorrente, o que conferiu um sabor ainda melhor à conquista. Fangio, no entanto, venceria naquele ano o primeiro dos cinco títulos da brilhante carreira. Gonzalez terminaria o campeonato em terceiro, com uma série impressionante de quatro pódios na sequência.

Com exatamente a mesma idade com que Enzo Ferrari abandonou a corrida da vida, 90 anos, em 1988, José Froilán Gonzales encostou seu carro nos boxes, hoje, na Argentina. O primeiro piloto a vencer com um modelo Ferrari, e sempre reverenciado pelo Comendador Enzo Ferrari, morreu em Buenos Aires. A atual equipe Ferrari deve lembrá-lo no próximo GP do calendário, exatamente em Silverstone, dia 30, onde há 63 anos Gonzales entrou para a história.

Para os argentinos, Gonzalez era o Pepe, venerado por deixar a Europa ainda como um piloto capaz de vencer na Fórmula 1 para competir no seu país. De 1950 a 1960, Gonzales disputou apenas 26 Gps, largou três vezes na pole position, venceu em duas ocasiões e obteve sete segundas colocações. A outra prova que ganhou foi também o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone, em 1954, e novamente pela Ferrari.

Para celebrar os 60 anos da primeira vitória da Ferrari na Fórmula 1, em 2011, Gonzales viajou a convite da equipe italiana para Silverstone. Fernando Alonso, atual piloto da escuderia, acelerou o modelo 375 original nos 5.891 metros do traçado, mas que lembra pouco o da vitória de Gonzales. Naquela época os pilotos mantinham o acelerador no curso máximo mais tempo que hoje. Não havia tantas curvas.

Dentre as conquistas de Gonzales nas pistas está a vitória na mais prestigiosa competição de carros de turismo e protótipos, as 24 Horas de Le Mans, na edição de 1954. E sempre com Ferrari, o modelo 375 Plus. O argentino correu em parceria com o francês Maurice Trintignant. Completaram 302 voltas diante de 301 da dupla inglesa Duncan Hamilton e Tony Rolt, com Jaguar D-Type.

O Toro dos Pampas ou Pepe nasceu no dia 5 de maio de 1922 em Arrefices, na Província de Buenos Aires, e faleceu na capital argentina. Neste sábado, também, os fãs do polêmico e irreverente piloto inglês James Hunt, ídolo de Kimi Raikkonen, da Lotus, lembram os 20 anos da morte do campeão do mundo de 1976, pela McLaren.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.