Hamilton prejudicou Raikkonen. Mas duvido que será punido.

liviooricchio

20 de outubro de 2007 | 15h57

Amigos:

Já sei que alguns leitores vão falar em perseguição, que estou torcendo para o Fernando Alonso, que quero ver o Lewis Hamilton punido para ajudar o espanhol. É o que depreendo ao ler os últimos comentários.

Não adiante dizer que não é nada disso. Cada um tem o direito de pensar o que desejar. Mas, de novo, não é preciso nem mesmo ter grande experiência com automobilismo para compreender que Hamilton atrapalhou a volta de Kimi Raikkonen.

O finlandês vinha na sua última tentativa de marcar tempo, na Reta Oposta, e Hamilton havia deixado os boxes com pneus novos para sua última volta lançada. O inglês manteve trajetória por dentro, por estar mais lento, e ao se aproximar da curva 4, a freada do fim da reta, desviou sutilmente a McLaren para a trajetória de Raikkonen.

Não vejo intenção alguma de Hamilton em prejudicar Raikkonen. Mas atrapalhou. Tanto que o piloto da Ferrari perdeu a trajetória ideal na saída da curva, colocou as rodas direitas fora da zebra. Perdeu tempo. Com certeza. Calculo algo como entre dois e três décimos de segundo.

“Não dá para ver no espelho, daquele ângulo em que estava, se alguém se aproximava. Tão logo vi, desviei o carro para fora do caminho de Kimi. Se o atrapalhei, peço desculpa”, disse Hamilton, depois de um tremendo bate-boca na coletiva com a jornalista francesa Anne Giuntini, do L’Equipe.

Acredito nele. Mas não se pode justificar tudo com “eu peço desculpa”. No GP da Itália do ano passado, Alonso foi punido por interferir no tempo de Massa por muito menos do feito por Hamilton ainda há pouco. E Alonso da mesma forma não tinha intenção. Diria que naquela oportunidade o espanhol interferiu bem menos do que Hamilton hoje com Raikkonen.

Eu me surpreenderia se a direção de prova tomasse alguma decisão contra Hamilton. Se fossem criteriosos, o inglês também perderia posições no grid como fizeram com Alonso. A Ferrari deve protestar pelo que senti da reação de Luca Colajanni, assessor da equipe.

A história da definição do grid do GP do Brasil pode não ter terminado.

Sobre os últimos comentários a respeito do nosso concurso: responderei assim que tiver um tempinho. O que posso dizer é que o Mauricio e o Everton estiveram aqui quinta-feira, ontem e hoje. E pelo que pude compreender da sua reação, aproveitaram nosso passeio pelos boxes. O Rodrigo, ocupado profissionalmente, só pôde vir ao autódromo ontem. O evento está lindo. Havia ótimo público já hoje e o tempo ajudou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: