"Hei, hei, lembra de mim, dos meus cabelos, da minha voz?"

liviooricchio

08 de janeiro de 2007 | 11h23

“Hei, hei, lembra de mim, dos meus cabelos, da minha voz?” Era assim que, há uns 20 anos, a mocinha chamava a atenção dos espectadores numa propaganda de TV sobre o lançamento de um novo xampu da marca que ela mesmo divulgara tempos antes. Nem todos se lembram de que xampu se trata, mas estou certo de que a voz terrível da menina está bastante viva ainda na memória de muitos, tanto que a agência, inteligentemente, destacou o fato na nova campanha. Estou de volta também, depois de férias bem aproveitada. Será que eu correspondo ao xampu ou à voz da menina nessa história? Sei, sei…sejam sinceros, estou preparado!

Olha, eu me surpreendi várias vezes pensando no campeonato que irá começar dia 18 de março na Austrália. Não tem jeito. Quando a gente gosta do que faz, mesmo distante estamos próximos. Outro dia, pouco antes do Natal, encontrava-me numa praia absolutamente deserta, na ilha Prumirim, no litoral norte de Ubatuba, onde se acessa apenas de barco. E não é que, apesar do livro A Copa, a Cruz e a Espada, de Eduardo Bueno, na mão, eu me peguei imaginando o que pode ocorrer na Fórmula 1 este ano? Sabe por quê? Simples: há tanta novidade em jogo, as cartas se embaralharam tanto que essas dúvidas todas apenas superalimentam nosso interesse.

Hoje, segunda-feira, embarco para a Itália. Vou ao tradicional encontro dos integrantes da Ferrari com a imprensa, na maravilhosa estação de esqui de Madonna di Campiglio, nos Alpes italianos. E sábado sigo de lá para Maranello, onde domingo a Ferrari deve apresentar seu novo carro. Permaneço ainda até segunda-feira para acompanhar o primeiro dia de atividades do novo modelo, se estiver mesmo concluído, com Felipe Massa ao volante. Será em Fiorano. As instalações da Scuderia e a linha de produção dos pouco mais de 4 mil veículos de série construídos por ano ficam de um lado da avenida central do município de Maranello.

Do outro lado da avenida acha-se Fiorano, município também. Do Reparto Corse, a divisão de competições, em Maranello, ao circuito de Fiorano, pode-se ir a pé, embora em geral utilizem automóvel por causa de a estrutura dos boxes do circuito ser um pouco mais distante. E nessa época do ano faz frio por lá. Em Madonna di Campiglio, ano passado, fomos jantar num restaurante localizado no topo de uma montanha – gasta-se bons minutos de teleférico para chegar – e a temperatura era de 14 graus abaixo de zero. Em Fiorano é mais “quente”. Esperamos enfrentar entre 2 graus positivos e 2 negativos. Tanto que a Ferrari já nos enviou e-mail informando que Massa só pilotará se, claro, não houver neve na pista.

Voltando àquela ansiedadezinha descrita que senti na praia, iremos conversar com Kimi Raikkonen, pela primeira vez como piloto da Ferrari. Meu ídolo, Michael Schumacher, não deve estar por lá. A não ser que surpreenda a todos. Seria legal. E se for, será como embaixador e consulente da Ferrari, não mais como piloto. Infelizmente. Quem não quer saber como será a Ferrari pós era Schumacher? Mais: o que fará Raikkonen? Esse novo carro será mesmo eficiente e a Ferrari começa a temporada como favorita, como eu mesmo já escrevi?

Logo depois de a equipe italiana pôr seu monoposto na pista será a vez da McLaren, dia 17, com Fernando Alonso, em Valência. Você que gosta e acompanha Fórmula 1, responda-me, por favor: não estás curioso como eu a respeito do que esse extraordinário piloto poderá realizar num time que não é campeão desde 1999, apesar de todos os recursos? E o que pensar da bicampeã do mundo, a Renault? Dentre os times de ponta, foi o que menos mexeu, mas em compensação perdeu o maior responsável pelo seu sucesso, Alonso.

Todas as escuderias, agora, com pneus Bridgestone, o desenvolvimento dos motores congelado por três anos, limitados em 19 mil rpm, e importante restrição no número de testes particulares. Dá para compreender o que desejo dizer? São tantas questões no ar! E melhor: só depois de os treinos começarem e, a seguir, o campeonato dar a largada é que, de fato, poderemos ter uma visão mais concreta de como será a temporada. Não hesito em acreditar que veremos novidades. Tomara! Esse emaranhado de fios começa a ser levemente desembaraçado nos próximos dias. Estaremos lá. Iremos compartilhar as emoções experimentadas, combinado?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.