Kubica no simulador, em outubro

liviooricchio

09 de setembro de 2011 | 19h16

09/IX/11

Livio Oricchio, de Monza

  Daniele Morelli, empresário de Robert Kubica, explicou ontem, em Monza, que depois da operação no cotovelo direito, há duas semanas, o progresso do polonês tem sido notável. “Toda a musculatura que estava quase imobilizada agora se movimenta e Robert pode mover o braço direito quase de maneira normal.” No mês que vem iniciará trabalhos com simulador.

 O limitador de velocidade nos boxes (o máximo é 80 km/h) não funcionou no Renault de Bruno Senna, ontem, por duas vezes, e o piloto foi multado, em 8.800 euros. “Vamos ver quem vai pagar”, disse. Se for comprovada a falha do equipamento, é a equipe. Normalmente essa é a regra na Fórmula 1.

  A equipe campeã do mundo, e eventual vencedora este ano também, Red Bull, anunciou a extensão do contrato de fornecimento de motor com a Renault até o fim de 2016. A partir de 2014 os motores voltarão a ser turboalimentados na Fórmula 1 e a Red Bull entrará na era turbo com a empresa francesa.

  Chris Dyer, ex-engenheiro da Ferrari, está em Monza. É a primeira visita do australiano à Fórmula 1 depois de decidir a estratégia equivocada de Fernando Alonso, no GP de Abu Dabi, no ano passado, e que custou o título ao espanhol e à Ferrari. “Tenho muitas ofertas de trabalho (Mercedes é uma delas), mas por contrato não posso trabalhar em outro time até o fim do ano.”

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.