Lewis explica o erro mais inoportuno do campeonato

liviooricchio

07 de outubro de 2007 | 15h14

07/X/07
GP da China
Livio Oricchio, de Xangai

Início

“Você não pode passar a vida toda sem cometer um erro. Hoje foi a minha vez”, disse Lewis Hamilton, assim que regressou ao paddock do circuito de Xangai, depois de perder o controle da sua McLaren na pista de acesso aos boxes. A pista estava secando e na 31ª volta, quando Hamilton abandonou por atolar na caixa de brita, vários pilotos já usavam pneus para asfalto seco. “Ainda resta uma etapa e posso conquistar o campeonato”, afirmou o jovem inglês.

A McLaren não chamou Hamilton para o box antes porque acreditou que poderia chover de novo. Alonso, com os mesmos pneus intermediários, não experimentava dificuldades. Como Hamilton parou antes no primeiro pit stop, por estar mais leve – fez a pole position -, seu ritmo de prova exigiu bem mais dos pneus que Alonso. “Meus pneus se deterioravam a cada volta, dava para ver as lonas já.”

Os espelhos da McLaren de Hamilton estavam sujos. “Não via nada, tampouco os pneus, podia apenas senti-los acabarem.” O pneu traseiro direito era o mais afetado. “Quando fui para os boxes, era como se estivesse sobre o gelo, não pude fazer nada. Ao deixar o cockpit estava mesmo muito chateado.”

O diretor de operações da McLaren, Martin Whitmarsh, assumiu a culpa da equipe pelo ocorrido da hora mais inconveniente possível para seu piloto. “Quando decidimos chamar Lewis, era um pouco tarde. Deveríamos tê-lo ordenado vir aos boxes uma volta antes.”

Todos os pilotos começaram a corrida com pneus intermediários. E não os substituíram no primeiro pit stop. A corrida teve 56 voltas e Hamilton a abandonou na 31º, mais da metade, com o mesmo jogo.

Ron Dennis, sócio e diretor da McLaren, lembrou que a pista de acesso aos boxes, onde Hamilton seguiu reto, apresentava bem mais volume de água que o restante do circuito. Dennis explicou quem era, de verdade, o adversário de Hamilton e impressionou quem o ouviu: “Não corríamos contra Kimi. Ele em primeiro e Hamilton em segundo tudo bem. Corríamos contra Alonso.”

Seu outro piloto, Alonso, se vencesse, adiaria a definição do título. Raikkonen em primeiro garantia o campeonato para Hamilton. Dennis não quis comentar nada sobre as graves acusações de Alonso à McLaren. O espanhol repetiu ontem o que afirmara sábado. “Descobrimos que a pressão dos meus pneus estava estranhamente alta na classificação”, explicou.

“Fui seis décimos mais lento que Lewis sendo que em todo o fim de semana fiquei na sua frente.” Os dois não se falam desde o GP da Hungria. “É melhor ficar calado do que mentir”, afirmou Alonso. O sisudo dirigente inglês apenas comentou: “Vamos conversar apenas depois de o campeonato terminar.” Alonso ainda reiterou que esperava muito mais da McLaren quando assinou contrato.

FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: