Massa ainda não é um piloto completo

liviooricchio

19 de abril de 2010 | 00h25

19/IV/10

Amigos, esse é o texto da minha coluna de hoje no Jornal da Tarde

  Não foram poucas as vezes que, aqui, procurei expor a eficiência do trabalho de Felipe Massa, o piloto que mais evoluiu desde sua estreia na competição, dentre os que vi correr. Meu primeiro GP como jornalita foi o do Brasil, em 1987. E desde 1991 sigo praticamente todas as etapas do campeonato.

  Desta vez, porém, meu comentário segue caminho oposto. O desempenho de Massa ontem em Xangai ficou muito abaixo do que se poderia esperar. Na conversa com o piloto depois da corrida, não houve lamentação alguma sobre comportamento difícil do carro em decorrência de problemas.

  Massa não foi veloz, agressivo como algumas ocasiões a situação exigiu, e regular, a exemplo de suas últimas performances, sempre muito consciente e nos pontos. Sei que as comparações são, em geral, injustas. Nesse caso, no entanto, me parece ser uma referência importante.

  Deixemos de lado o comportamento abominável de Fernando Alonso, para ser o primeiro a receber a troca de pneus, na ultrapassagem que contou com a boa vontade de Massa para ambos não colidirem. Mas você viram a prova do espanhol, com a mesma Ferrari?

  Massa é capaz de desempenhos espetaculares também, como vimos na Malásia, há duas semanas, depois de estar com os pneus macios. Mas seu histórico em competições em que as condições se alternam, seco, molhado, seco, molhado, Massa em vez de crescer, como seria de se esperar, como faz no seco, simplesmente some.

  Se desde 2007 Massa se mostra rápido e constante, cresceu muito como piloto, aprendeu a ver a corrida globalmente, a ponto de quase ser campeão do mundo, com todos os méritos, agora é hora de parar e estudar, em detalhes, como fazer para crescer nessas provas de condições adversas.

  Não é pecado olhar com o carinho que a situação exige o que os melhores, como Alonso, Lewis Hamilton, Jenson Button, realizam nesses momento, como reagem a cada mudança, e procurar aplicar esse conhecimento. Não se trata apenas de feeling do piloto. Também é uma questão de aprendizado. É o que lhe falta, ficou estampado ontem mais uma vez, para ser um piloto completo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.