Massa diz que BMW está na frente de todos

liviooricchio

09 de fevereiro de 2007 | 18h04

Felipe Massa conversou com meus amigos da Gazzetta dello Sport, Pino Allieve, Andrea Cremonese, Rafaele della Vita. Antes de qualquer coisa, deixa eu explicar: tanto o Corriere della Sera como a Gazzetta dello Sport são jornais pertencentes, no fundo, ao grupo Fiat, maior proprietário da Ferrari.

É por isso que a Gazzetta, em especial, tem acesso direto ao pessoal da equipe. E sempre produzem bom material. Como o de hoje, em que Massa expõe sua opinião a respeito do que deve ocorrer no campeonato da Formula 1 a partir do que viu nas duas últimas séries de testes, em Valência e em Jerez de la Frontera.

Vale a pena reproduir, aqui, o que disse, de forma até surpreendente: “A McLaren definitivamente é, neste momento, quem tem o carro mais veloz, mas a melhor, para mim, é a BMW. Digo isso não apenas por causa do resultado do último dia de testes em Jerez, mas por sua consistência nas simulações de corrida.” Afirmou mais: “Hoje, os coloco à frente da Ferrari e da McLaren.”

Oito das 11 equipes treinaram em Jerez de terça a quinta-feira. No último dia, sob chuva o tempo todo, o alemão Nick Heidfeld, da BMW, estabeleceu a melhor marca, 1min29s486. Mas repetindo o que já foi informado, o melhor tempo dos três dias foi o de Massa, 1min19s746, de quarta-feira.

O piloto da Ferrari comentou, ainda: “A BMW surpreendeu nos treinos de Valência e aqui em Jerez realizaram ensaio muito interessante.” No teste de Valência, de 20 de janeiro a 2 de fevereiro, a BMW trabalhou com três pilotos. Nick Heidfeld completou, no total, 205 voltas no traçado espanhol de 4.005 metros, com 1min11s976 na mais rápida, 7º no geral, Robert Kubica, 118, com 1min12s242, o 8º, e Sebastian Vettel, 154, com 1min12s675, o 11º.

O mais veloz dos quatro dias foi Lweis Hamilton, com a McLaren MP4/22, tempo de 1min11s119. O recorde absoluto do circuito Ricardo Tormo é de Anthony Davidson, piloto de testes da Honda, com 1min08s543, de 2/3/2006.
A declaração de Massa é um bom exemplo de como analisar a pré-temporada através apenas dos números pode-se chegar a impressões equivocadas.

Alguém que somente leia que os pilotos da BMW estabeleceram a 7ª, 8ª e 11ª marca da semana, em Valência, imaginará que seu avanço, em relação a 2006, não terá sido tão grande. Mas o piloto da Ferrari estava lá na pista com eles, viu, por exemplo, quantas voltas seguidas eles completaram e o tempo registrado em cada uma. Por isso Massa fala em regularidade, consistência.

Com certeza comparou as marcas dos pilotos da BMW nas séries seguidas de voltas com o que fez na Ferrari F2007. “Os carros da McLaren são os mais rápidos em uma volta lançada. Já os da BMW são os mais consistentes, ainda que não estejam muito confiáveis.”

O que isso quer dizer? São mais capazes de estabelecer tempos muito semelhantes que os da McLaren, sem variações significativas, denotando a eficiência do projeto. Destacou, porém, que o índice de panes elevado sugere que a resistência não seja, por enquanto, o máximo. Vale lembrar que Massa competiu pela equipe que deu origem à BMW, a Sauber, em 2002, 2004 e 2005 e, portanto, dispõe de elementos para analisá-la.

Massa falou, claro, da Ferrari também: “Estamos onde acreditávamos que estaríamos. Nosso carro tem-se mostrado veloz e confiável, apesar de também termos tido alguns problemas. Mas nós sabemos como resolvê-los.”

A partir de segunda-feira as escuderias voltam à pista, no penúltimo ensaio geral antes da abertura do Mundial, dia 18 de março, em Melbourne. Em seguida ao teste do Circuito da Catalunha a Fórmula 1 irá para Bahrein, onde ficará mais evidente o estágio de casa time, já que enfrentarão o calor intenso das três primeiras etapas do calendário, Austrália, Malásia e Bahrein.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: