Massa e Raikkonen falam de correr juntos até 2010

liviooricchio

12 de setembro de 2008 | 15h32

12/IX/08
Livio Oricchio, de Monza

A fase de resultados pouco expressivos de Kimi Raikkonen foi temporária e a volta do campeão do mundo às vitórias já começou na Bélgica, domingo, apesar de ter batido. É o que se pode depreender do anúncio da Ferrari, ontem, em Monza, onde hoje será disputada a sessão classificatória do GP da Itália. A Ferrari renovou o compromisso do finlandês também para a temporada de 2010. Já tinha contrato para 2009. E como Felipe Massa também já acertou para os dois próximos campeonatos, os dois vão compor a dupla da Ferrari até o fim de 2010.

Fernando Alonso, da Renault, explicitamente interessado em correr na equipe italiana, comentou: “Essa história de que eu seria piloto da Ferrari em 2010 foi inventada, nunca tive contato com eles, portanto o anúncio de hoje não representa nenhuma decepção, já esperava a renovação de Kimi”.

O campeão do mundo de 2005 e 2006 reiterou que sua prioridade é permanecer na Renault e ajudar a equipe conquistar o título de novo.
Mas lamentou as dificuldades com o carro, em Monza, ontem, depois dos treinos livres: “Aqui é preciso potência, boa tração, frear com equilíbrio e poder passar sobre as zebras. Em resumo, tudo o que não temos”. Alonso obteve apenas o 18ª tempo, 1min25s481. “Havia dito em Spa que esta seria a nossa corrida mais difícil e os resultados de hoje estão confirmando.” O mais veloz do dia foi Raikkonen, com 1min23s861.

“Pilotei, hoje, o melhor carro do campeonato até aqui”, afirmou o finlandês, que nem com o primeiro tempo e a renovação do contrato mudou seu semblante sério. “A versão de que abandonaria as pistas foi criada por vocês”, disse aos jornalistas. “Nunca a considerei.” Em várias entrevistas Raikkonen afirmou, com todas as letras, que se sentisse interessado em prosseguir na Fórmula 1, onde há coisas que o agrada e outras que abomina, renovaria o contrato, caso contrário “iria pensar o que fazer da vida”.

Felipe Massa gostou da notícia que, claro, já conhecia. “É bom para a Ferrari, não somos amigos, mas trabalhamos muito bem juntos e isso dá estabilidade para a equipe.” Nos treino da tarde registrou o sexto tempo, 1min24s247, a 386 do companheiro de Ferrari. “Não encontrei o acerto ideal para os pneus novos, não dei um ótima volta, mas estamos bem.” Sua reação é de ter tido uma surpresa positiva, ainda que ontem fosse apenas o primeiro dia de treinos. A McLaren demonstrou nos testes realizados em Monza, há duas semanas, excelente forma, quando foi mais rápida que a Ferrari. Ontem o líder do Mundial, Lewis Hamilton, da escuderia inglesa, marcou o quarto tempo, 1min23s983.

Pela manhã poucos pilotos foram à pista em razão da tempestade que caiu. Restando uma hora de treino, ficou praticamente noite em Monza. A água era tanta que invadiu os boxes. A meteorologia aponta boas possibilidades de chover hoje de novo durante a classificação, a partir das 9 horas (Brasília), com transmissão ao vivo pela TV Globo. Rubens Barrichello, da Honda, ficou em 14º, e Nelsinho Piquet, Renault, rodou. Seu tempo, ainda do asfalto unido, o deixou em 20º e último.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.