Massa funciona melhor pressionado

liviooricchio

06 de abril de 2008 | 17h29

06/IV/08
GP de Bahrein
Livio Oricchio, de Manama

“Ele é assim, desde o kart. Na hora que tem de mostrar serviço mesmo vai lá e vence.” O comentário é de Luis Massa, pai de Felipe Massa, piloto de trajetória bastante particular na Fórmula 1: nas ocasiões em que vai ou racha chama a responsabilidade para si e se sai muito bem.

Durante todo o fim de semana, em Bahrein, Massa foi um dos raros pilotos que não colocou uma roda fora da pista. Luis Massa acompanhou a semana do filho em São Paulo depois dos erros na Austrália e na Malásia que o levaram a não marcar pontos no campeonato.

“Tudo o que você não deve fazer numa situação dessas é ficar voltando ao assunto. Procuramos estar juntos, falar de outras coisas, deixá-lo bem à vontade”, disse Luis Massa, um ex-piloto de carros de turismo no Brasil. “Claro que ele sente a pressão, mas não é algo que o desestabilize, lida bem”, explica.

O próprio Massa falou dessa reviravolta, como no ano passado, no mesmo lugar, Bahrein. Em 2007, errou na Malásia e chegou desacreditado para a prova no Oriente Médio. “O que vale para mim não é o que as pessoas pensam, mas a avaliação que a equipe faz de mim. E eles têm toda confiança no meu trabalho.”

Muita gente deve ter ficado com o coração na mão quando viu seu companheiro, Kimi Raikkonen, disputar com ele a melhor volta da corrida, entre as passagens 34 e 38, principalmente. A diferença entre ambos era de 3.8 segundos. Mas, desta vez Massa, talvez por estar bastante pressionado, não errou. E impôs respeito de novo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.