Massa não erra e conquista a pole na Turquia

liviooricchio

26 de agosto de 2006 | 11h51

Reportagem de F-1: Desta vez Massa não erra e conquista da pole position
GP da Turquia
Livio Oricchio, de Istambul

Início
Desta vez Felipe Massa não errou, como na definição do grid do GP da Hungria, e conquistou, ontem, com enorme autoridade, a pole position da prova de Istambul, a primeira na carreira. Deixou para trás ninguém menos de Michael Schumacher, seu companheiro na Ferrari, segundo colocado. “Fiz grandes sacrifícios na minha vida para chegar aqui, é um dia que jamais esquecerei. Estabelecer a pole tendo o Michael na equipe, um supercampeão, me dá ainda mais prazer.” O alemão reconheceu seu trabalho: “Eu não tirei tudo que o carro oferecia; Massa, sim. Merece o resultado.”
O espanhol Fernando Alonso, da Renault, que luta com Schumacher pelo título, obteve o terceiro tempo, e seu parceiro, Giancarlo Fisichella, o quarto. Os dois carros da Ferrari largam na primeira fila e os dois da Renault na segunda. Massa, terceiro no Mundial, comenta sua função ao longo das 58 voltas do GP da Turquia, com largada às 8 horas (horário de Brasília). “Nesse momento o importante é a Ferrari conquistar os dois campeonatos (pilotos e construtores).” Claramente Massa vai correr mais preocupado em ser útil a Schumacher na disputa com Alonso do que, eventualmente, conseguir sua primeira vitória na Fórmula 1. “Mas em corrida tudo pode acontecer. Quem diria que o Jenson Button (Honda) acabaria em primeiro lá em Budapeste (o inglês largou em 14.º).”
Massa é o sexto brasileiro a estabelecer uma pole na Fórmula 1, na sua 66.ª participação em GPs. Os outros foram: Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello. Massa estava exultante com sua volta: “Antes de completá-la, na última curva, já havia compreendido que seria ótima e tinha chances boas de obter a pole.” Ele registrou 1min26s907, enquanto Schumacher, 1min27s284. A última pole de Massa havia sido na etapa final da Fórmula 3000 Européia, dia 14 de outubro de 2001, em Valência, quando também venceu e conquistou o título.
Alonso e Fisichella, ao menos nos treinos livres, quando simularam a condição de corrida, parecem estar um pouco mais lentos que os pilotos da Ferrari. “O máximo que dava para conseguir era isso, terceiro e quarto”, afirmou, resignado, Alonso. “Vimos sexta-feira e hoje (ontem) pela manhã que não acompanharíamos o ritmo deles na classificação e nos preocupamos em encontrar um bom acerto para a corrida”, explicou. Mas Massa está muito confiante também quanto à constância do carro da Ferrari durante várias voltas seguidas. “Experimentamos essa condição nos treinos livres. Estamos rápidos também. Podemos confiar numa vitória.”
Ele e Fisichella serão decisivos para o que Schumacher e Alonso podem conquistar no belo circuito Istambul Park.
“A largada será muito importante”, lembrou Alonso. “Na Fórmula 1, hoje, você ultrapassa na largada ou nos pit stops.” Schumacher demonstrou preocupação com o fato de estar em posição par, 2.ª, localizada no lado mais sujo do asfalto. “Não sei bem como funciona aqui na Turquia, mas em muitos circuitos é melhor, por vezes, largar em terceiro a segundo.” Há mais borracha no asfalto e a tendência é as rodas patinarem menos. Alonso lidera o Mundial com 100 pontos, seguido por Schumacher, 90. Massa está em terceiro, 52.
Rubens Barrichello, da Honda, estava visivelmente chateado com a 14.ª colocação. Como Ralf Schumacher, Toyota, cairá de 5.º para 15.º, por substituir o motor, Rubinho largará em 13.º. “Não entendemos, ainda, o que aconteceu. O carro estava muito melhor de manhã. Na classificação se comportou de maneira estranha.” Jenson Button, o companheiro, trabalhou em acerto diferente e foi bem, larga em sétimo. Como ficou fora dos dez melhores, Rubinho poderá escolher com quanta gasolina deseja largar. “Espero ter uma corrida decente.”
FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.