Massa, otimista depois do primeiro teste com Pirelli

liviooricchio

19 de novembro de 2010 | 13h21

19/XI/10

Livio Oricchio, de Frankfurt

 O resultado do primeiro dia de treinos das equipes de Fórmula 1, ontem em Abu Dabi, não tem representação maior. Mas não deixa de ser positivo o início de trabalho de Felipe Massa, da Ferrari, com os pneus Pirellli. Ao final do dia, registrou o melhor tempo. Sua declaração é animadora: “Me senti muito bem pilotando esses novos pneus.” Durante a sua difícil temporada, concluída domingo no mesmo circuito Yas Marina, Massa atribuiu às características dos pneus Bridgestone deste ano seu fraco desempenho se comparado ao que fez o companheiro, Fernando Alonso.

  “O clima na equipe já foi bem melhor, claro, mas temos de pensar em 2011. Eu estou agindo assim”, disse Massa, referindo-se ao fato de ser o primeiro treino da Ferrari com os pilotos titulares depois da perda do título para Sebastian Vettel, da Red Bull, domingo. Quanto aos pneus Pirelli, Massa comentou: “O carro não teve nenhum comportamento estranho, mesmo iniciando o teste com o acerto, ainda, para os pneus Bridgestone.” Disse mais: “Gostei de como eles fazem o carro reagir, não só quanto à velocidade como em relação à consistência. Recolhemos dados importantes para nós e a Pirelli. Saio contente desse primeiro dia.” Hoje é a vez de Fernando Alonso pilotar com os pneus italianos.

  Para a Williams o treino é tão importante que escalou Rubens Barrichello, o mais experiente piloto da Fórmula 1, para realizá-lo, ontem e hoje. Em conversa exclusiva com o Estado, Rubinho deu uma informação que os projetistas compreenderam já ontem e os deixou bem satisfeitos: “Estamos surpresos porque em termos de acerto do carro o novo pneu não é tão diferente em relação ao que usávamos.” Os projetistas têm já seus modelos de 2011 quase prontos e receavam ter de repensar tudo se os pneus Pirelli fossem muito diferentes.

  “A maneira de guiar é distinta, mas a forma de trabalharmos o carro nem tanto. As mudanças que os projetistas terão de fazer nos novos modelos não serão radicais.” Como Massa, Rubinho não se ateve aos tempos. “Apesar de terem lavado a pista, havia ainda muita borracha do GP e dos dias de treinos com os jovens pilotos, terça e quarta-feira”, explicou. “A pista estava muito melhor da que vamos enfrentar quando fomos treinar, em fevereiro, com os modelos de 2011.” A Williams introduziu um aerofólio móvel no carro para verificar como variava a temperatura dos pneus, com mais e com menos incidência.

  Já o campeão do mundo, Sebastian Vettel, da Red Bull, primeiro falou da maratona de viagens depois do título. Seguiu de Abu Dabi para a Áustria, Salzburgo, cidade da Red Bull, depois a Milton Keynes, sede do time na Inglaterra, e ontem estava de volta ao cockpit do RB6-Renault. Confirmou a explicação de Rubinho. “A adaptação aos pneus Pirelli foi mais fácil do que imaginávamos.”

  Os tempos de ontem: 1.º Massa, 1min40s170 (94 voltas), 2.º Vettel, 1min40s500 (77), 3.º Gary Paffett (McLaren), 1min40s874 (94), 4.º Kamui Kobayashi (BMW Sauber), 1min40s950 (83), 5.º Robert Kubica (Renault), 1min41s032 (39), 6.º Rubinho, 1min41s425 (91). Amigos…..estão embarcando aqui no aeroporto de Frankfurt. Se for inserir todos perco o voo…obrigadoooooo……

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.