Massa volta a ser o Massa de 2008

liviooricchio

18 de abril de 2011 | 03h42

18/IV/11

Livio Oricchio, de Xangai

  O primeiro sinal de que Felipe Massa voltou a ser o piloto rápido, combativo e de quase nenhum erro, como na temporada de 2008, quando só não foi campeao por uma casualidade, foi dado no GP da Malasia. Ontem, a etapa de Xangai confirmou sua nova realidade: com uma corrida irrepreensível acompanhou o ritmo de Sebastian Vettel, da Red Bull, em segundo, mas diante do fraco desempenho da Ferrari com pneus duros, no final, perdeu posições para Jenson Button, McLaren, Nico Rosberg, Mercedes, Mark Webber, Red Bull, e terminou em sexto.

  “Vimos hoje a Ferrari manter a velocidade da Red Bull e da McLaren durante a corrida. Ainda temos de evoluir com os pneus duros e principalmente na classificação”, disse. Questinou a estratégia da Ferrari: “Não sei se duas paradas era mesmo a melhor opção”. Curiosamente, seu companheiro, Fernando Alonso, reclamou sem piedade do rendimento do carro. E afirmou: “Mesmo que eu tivesse feito tres pit stops, o resultado não seria muito diferente”. Obteve o sétimo lugar, a 14 segundos de Massa.

  Pat Fry, o novo estrategista da Ferrari, ex-McLaren, optou por duas paradas para os dois, enquanto Lewis Hamilton, da McLaren, o vencedor, e os pilotos que passaram Massa nas últimas sete voltas, por estarem com os pneus menos desgastados, fizeram três.

  O mistério entre as duas declarações opostas dos pilotos da Ferrari não foi decifrado por Stefano Domenicali, diretor da equipe, que elogiou Massa, embora tenha se preocupado mais em defender a prova fraca de Alonso. Fato raro. Para Domenicali, permanecer tanto tempo atrás de Michael Schumacher, da Mercedes, depois do primeiro pit stop, arruinou a corrida do espanhol.

  Quem explicou a razão de o carro de Massa ter andado bem mais foi seu engenheiro, Rod Smedley, que falou ao empresário do piloto, Nicolas Todt: “Felipe e eu trabalhamos num acerto diferente que se mostrou bem mais eficiente”.  Merito de Massa na pilotagem e na definição do ajuste da sua Ferrari. “Foi a minha melhor corrida deste ano e a do ano passado também”, afirmou Massa. E vai agora para a pista de Istambul, onde venceu em 2006, 2007 e 2008. Massa ocupa o sexto lugar na classificação do Mundial, com 24 pontos (Alonso tem 26, quinto), diante de 68 de Vettel.

  Rubens Barrichello até que teve um final de GP da China melhor do que os treinos indicavam. A Williams usou em Xangai um novo posicionamento dos canos de escape, com todas suas implicações, não funcionou e voltou atrás na classificacao e corrida. Rubinho largou em 15.º e terminou em 13.º. O ambiente no time é tenso e o diretor técnico, Sam Michael, pode ser dispensado.

*Texto atualizado às 19h27 de 19 de abril

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.