McLaren muito forte, hoje, terça-feira, em Barcelona

liviooricchio

26 de fevereiro de 2008 | 18h08

26/II/08
Amigos:

Estou impressionado com alguns comentários que já dão como líquido e certo que Nelsinho Piquet, por ter obtido ontem o 14º tempo e hoje o 18º, é um fracasso. Senhores, por favor. Estou aqui em São Paulo, decidi não viajar para fora do País até o início da temporada, mas conversei há pouco com dois amigos que estão no Circuito da Catalunha, além de ler sites bem formados em automobilismo. Sites que não tratam do ensaio de Barcelona como uma competição direta entre pilotos e criam falsas sensações.

Hoje, terça-feira, Nelsinho experimentou uma série de componentes novos no modelo R28. Deixava os boxes, dava séries seguidas de voltas, entre 8 e 10, e regressava. A seguir, permanecia parado até que os mecânicos substituíssem aquelas peças por outras. Reparem no quadro de tempos que com 45 voltas foi o piloto que menos quilômetros percorreu no traçado de 4.655 metros.

Sem assumir, aqui, a posição de advogado de defesa, mas apenas visando contextualizar os tempos registrados, dá para dizer, depois dessas informações, que Nelsinho foi uma decepção? Tome como referência o trabalho de seu companheiro, cujo objetivo foi o de mexer no ajuste do R28 e verificar como ele reagia. Alonso marcou o 12º tempo, com 1min23s112 na melhor de suas 77 voltas. Nelsinho, 1min23s467.

A diferença entre ambos, embora da mesma forma não representa muito, foi de 355 milésimos a favor de Alonso, como tem sido a média na pré-temporada, cerca de 3 décimos de segundo. Não é ruim para um piloto que não estreou ainda na Fórmula 1 diante de um bicampeão mundial e sobre quem recaem quase todas as atenções da equipe.

Amanhã o programa de Nelsinho será distinto. Não vai fazer apenas experimentos. Poderá percorrer os chamados long runs, ou completar entre 18 e 20 voltas sem parar, que é normalmente o que os pilotos fazem durante as corridas antes de realizarem seus pit stops. Aliás, amanhã é o último dia de testes antes do embarque dos carros para a Austrália, onde dia 16 começa o campeonato no circuito Albert Park, em Melbourne.

A McLaren andou bem hoje em Barcelona. O tempo de Lewis Hamilton foi obtido durante long run. Ele virava 1min22s seguidamente até no fim da série fazer 1min21s234 (81 voltas). Heikki Kovalainen, seu companheiro, mostrou-se um pouco mais lento no long run, não apenas no tempo em si, 1min21s434 (68), mas na série mesmo. Dá a entender que em condição de corrida está alguns milésimos atrás de Hamilton.

De novo a Williams andou bem. Como a marca de 1min22s309 (75), de Nico Rosberg, a 3ª, acabou registrada também no fim de uma série extensa, tem representatividade, ou seja, sua Williams FW30-Toyota não estava na configuração de classificação. A impressão geral na própria Fórmula 1 é de que o FW30 não tem nada de excepcional, mas é um carro são, previsível, regular, constante, contam-me os amigos Anne Giuntini, do L’Equipe, e Luis Vasconcelos, do Autosport de Portugal,presentes no ensaio.

Podemos esperar a Williams no pelotão da BMW, Renault e Red Bull: serão oito pilotos separados por milésimos de segundo.

Felipe Massa simulou outro GP, hoje. Os resultados não foram tão bons como na semana passada. Massa reclamou do tráfego intenso na pista, mais do que normalmente ocorre na provas. Amanhã, pelo apurado no paddock, Massa irá apenas completar a milhagem do motor, bastante baixa depois da simulação. Hoje Massa fez 1min22s513 (102), o 5º.

Já Kimi Raikkonen trabalhou no acerto do F2008 e deu seguidos long runs, com 75 voltas no total: 1min21s722, o 3.º

Quem estava no autódromo hoje assistiu à McLaren estabelecer tempos seguidos com Hamilton bem próximos, senão melhores em alguns instantes, dos obtidos pela Ferrari. Na etapa de Melbourne, pelas facilidades da Ferrari no traçado de 5.303 metros – venceu 6 das 9 últimas edições – parece ser difícil para a McLaren enfrentá-la em igualdade de condições, mas se a escuderia da Mercedes continuar nessa ascensão, a disputa pode vir a ser ótima, como ano passado, ainda que, para mim, a McLaren sentirá a falta de Alonso.

Só para concluir senão esse texto vai entrar no blog do meu vizinho: a BMW que tinha, lembra, em 2007, um espaço só para si, atrás da Ferrari e da McLaren, mas na frente de todos os demais, pelo que temos visto permitiu queWilliams, Renault e Red Bull chegassem bem perto. Não dá para não falar nada da Honda. Hoje Jenson Button experimentou vários novos componentes no RA108 e foi mais para a frente, 1min22s659 (67), o 9º, enquanto Rubinho marcou 1min23s169 (74), o 14º. É o primeiro sinal de avanço no time japonês. Fisichella 6º? Com pneus novos e pouca gasolina fica bem mais fácil!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.