Na Alemanha, a provável volta de Kubica à luta pelo pódio

liviooricchio

14 de julho de 2008 | 22h15

14/VII/08

Tenho comigo em função do comportamento que vi do carro da BMW, este ano, que Robert Kubica vai estar mais perto da luta entre Felipe Massa, Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton pela vitória, domingo, no GP da Alemanha. Nas provas de Magny-Cours e Silverstone, o ótimo polonês não teve carro para, como em Mônaco e no Canadá, inserir-se com agressividade na briga.

O modeo F1.08 apresentou maiores dificuldades que o F2008 da Ferrari e o MP4/23 da McLaren em traçados dotados de curvas rápidas. E há uma certa contradição nisso, já que sua maior distância entre-eixos tenderia a facilitar seu trabalho. Mas há vários fatores que interferem na performance geral do conjunto. O carro alemão é extremamente sensível à distribuição de peso, por exemplo.

Kubica precisou emagrecer 7 quilos em três semanas antes de o Mundial começar, na Austrália. O peso do piloto eleva muito o centro de gravidade. Um piloto magro permite que se distribua melhor os discos de lastro. No caso da BMW, algo próximo de 30 quilos, o que para o universo técnico da Fórmula 1 representa soma imensa e a diferença entre ser veloz e lento.

Os 4.574 metros do circuito de Hockenheim não desaforecem tanto o F1.08 como os circuitos das corridas na França e na Inglaterra. Apostaria nisso. A não ser a curva 1, de média velocidade, contornada em 3ª marcha a 190 km/h, e a de entrada no estádio, também não muito veloz, 4ª marcha a 210 km/h, as demais são curvas de 1ª, 2ª ou 3ª marchas. Refizeram um traçado fácil, o antigo de 6.823 metros, de motor e freio, essencialmente, e desperdiçaram a oportunidade de conceber algo de verdade seletivo.

Ficarei feliz se minha previsão, baseada na lógica, se confirmar na prática. Se Kubica avançar na classificação, o campeonato ficará ainda mais emocionante. Quatro pilotos lutando pelo título diretamente será espetacular.

Amanhã, quarta-feira, embarco para a Alemanha. E é esse o panorama que espero: Massa e Raikkonen com sutil vantagem sobre Hamilton e Kubica, mas não comprometedora a ponto de os pilotos da McLaren e da BMW não poderem pensar em vitória na 10ª etapa do campeonato.

Abraços!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.