Não há melhor carro este ano

liviooricchio

14 de abril de 2013 | 15h03

14/IV/13
Xangai

Na etapa de abertura do campeonato, na Austrália, a Red Bull teve o melhor carro na sessão de classificação. A Lotus, na corrida. Haja vista que Sebastian Vettel, da Red Bull, estabeleceu a pole position e Kimi Raikkonen, Lotus, venceu a prova. Na etapa seguinte, em Sepang, na Malásia, a Red Bull demonstrou ter o melhor conjunto, tanto na definição do grid como nas 56 voltas da corrida: Vettel venceu com o companheiro, Mark Webber, em segundo.

E em Xangai, no fim de semana, a Mercedes foi a mais rápida na tomada de tempos, sábado, com a pole position de Lewis Hamilton, enquanto hoje a Ferrari dispôs no melhor carro, conforme atesta a vitória sem dificuldades de Fernando Alonso.

Qual o melhor carro do campeonato? Resposta: não há. Depende se a competição for em uma volta lançada ou ao longo dos 300 quilômetros da prova. E ainda depende das características dos circuitos. A temporada começou com três vencedores distintos de três equipes diferentes. O interessante, este ano, é que com exceção do GP da Malásia o que se vê na sessão de classificação não serve de muita referência para o que a corrida irá apresentar.

Uma das razões é a característica dos novos pneus Pirelli, mais moles este ano. “Encontrar um acerto que nos permita ser rápido em uma volta e ao longo da corrida é o maior desafio, o carro muda completamente o seu comportamento”, comentou Nico Rosberg, da Mercedes. “Na Malásia a diferença entre os dois tipos de pneus era muito pequena, mas na Austrália e aqui (China), enorme. Fui dois segundos mais veloz com os macios em relação aos médios”, explicou Massa.

O fato de Red Bull, Ferrari, Lotus e Mercedes estarem num nível próximo de desempenho representa a garantia que as quatro, mais a McLaren, que se aproxima, vão continuar investindo no desenvolvimento de seus carros. Como o regulamento vai mudar radicalmente em 2014, se essas escuderias não tivessem iniciado a temporada com um bom carro de base já no GP da Espanha, dia 12 de maio, o primeiro da série europeia, seria possível compreender. E, claro, elas passariam a pensar exclusivamente no ano que vem, interromperiam o investimento nos modelos atuais.

Para o bem da competição, o que se viu foi Red Bull, Ferrari, Lotus, Mercedes e até a McLaren iniciarem o campeonato, e já compreenderem, dispor de belos projetos, potencialmente capazes de levá-los ao título. Daí a disputa ter tudo para proceder assim.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.