No 1º dia de treinos emPaul Ricard Hamilton confirma o favoritismo em Mônaco

liviooricchio

14 de maio de 2008 | 17h21

14/V/08
Livio Oricchio, de Helsinque

Início

Ontem foi o primeiro dia de treinos e até sexta-feira as equipes podem apresentar desempenho distinto nos testes de Paul Ricard, visando às duas próximas etapas do campeonato, o GP de Mônaco, dia 25, e do Canadá, 8. Mas ao menos ontem Lewis Hamilton comprovou o que se espera da McLaren dessas duas provas: deverá lutar pela vitória. O piloto inglês foi o que menos voltas completou, 84, no traçado curto de 3.593 metros, ainda assim fez o melhor tempo, 1min05s600.

Nas mesmas corridas, ano passado, a McLaren venceu sem dificuldades. No principado com Fernando Alonso e em Montreal, Hamilton. A Ferrari mudou muito o seu carro de 2007 para cá a fim de reduzir a diferença de performance para a adversária em circuitos de baixa velocidade. Ontem Raikkonen treinou com o modelo F2008. Foram 103 voltas, com 1min05s089 na mais rápida. É uma diferença de 489 milésimos para Hamilton. No fim do dia, o campeão do mundo experimentou o novo bico, com exaustão de ar, a ser utilizado no GP de Mônaco.

Robert Kubica já adiantou que espera ver a BMW muito forte no Canadá, com chance de conquistar para a equipe sua primeira vitória, mas em Mônaco o mais realista é de novo somar pontos. “Bons pontos”, como afirmou na Turquia. Ontem ficou com o terceiro tempo, 1min06177, em 124 voltas. A Red Bull é outro time que pode aproveitar as características da pista de Mônaco para avançar mais ainda este ano. Mark Webber só não somou pontos na abertura do calendário, em Melbourne. Tem 10.

Seu companheiro, o fanfarrão David Coulthard, talvez não disponha este ano de chance de tão boa para recuperar-se na temporada. Não marcou ponto em nenhuma etapa e é a razão de uma racha na associação dos pilotos (GPDA), por seu comportamento agressivo nos circuitos quando tentam ultrapassá-lo. O escocês que deve ser dispensado no fim do ano já venceu duas vezes em Mônaco, em 2000 e 2002, foi segundo em 1996, pela McLaren, e terceiro em 2006, com Red Bull. Costuma andar bem na difícil pista de 3.340 metros.

A Toro Rosso treinou, ontem, com seu novo carro. Sebastian Vettel completou 91 voltas, 1min06s372 na melhor. É o primeiro modelo do time que corre com bandeira italiana, mas é de propriedade de Gerhard Berger e Dietrich Mateschitz, dono da Red Bull, modificado pelo italiano Giorgio Ascanelli, ex-engenheiro de Nelson Piquet e Ayrton Senna. Ele assumiu a direção técnica da Toro Rosso no GP da Malásia do ano passado. O carro é o mesmo usado pela Red Bull, basicamente. A diferença está no motor, Ferrari em vez de Renault, e todos os desdobramentos de um motor distinto, como transmissão, aerodinâmica, em especial nas laterais, por conta de diferentes áreas de radiadores, dentre outras.

O único brasileiro em ação, ontem, foi Lucas Di Grassi, piloto de testes da Renault. O vice-campeão da GP2 só andou menos de Nico Rosberg, da Williams, com 154 voltas e tempo de 1min06s571, o sexto. Di Grassi deu 146 voltas e ficou em décimo, 1min07s430. Todas as equipes testaram muitas pequenas modificações em seus carros, visando às necessidades de elevada pressão aerodinâmica em Mônaco. Sexta-feira elas treinam na versão de traçado semelhante à do circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, com menos carga aerodinâmica. Felipe Massa vai assumir o carro da Ferrari.

FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.