Notas do GP da Austrália

liviooricchio

14 de março de 2008 | 08h12

14/III/08
Notas do GP da Austrália (Sexta-feira)
Livio Oricchio, de Melbourne

Início
Perguntaram aos pilotos que participavam da entrevista coletiva programada pela FIA, ontem à tarde, quem será o campeão do mundo este ano. O resultado evidenciou que não são apenas os dirigentes que apostam no atual campeão do mundo, Kimi Raikkonen, da Ferrari. Disseram que ele será bicampeão, sem hesitar: Giancarlo Fisichella, da Force India, Timo Glock, Toyota, Nelsinho Piquet, Renault, e Sebastien Bourdais, Toro Rosso.

Na tentativa de melhorar seu tempo, Felipe Massa saiu da pista na sessão da tarde do treino livre na veloz sequência de curvas 11/12. Isso lhe custou testar pouco os pneus macios, o que explica em parte a grande diferença entre seu tempo de sexta-feira e o de Raikkonen: 1min26s461 para o finlandês, primeiro, e 1min26s958, Massa, terceiro. O brasileiro está visivelmente sob pressão, dele mesmo, para vencer Raikkonen, o que será bem difícil.

O piloto de testes da McLaren, o espanhol Pedro de la Rosa, é o novo campeão da GPDA, a associação dos pilotos. Ele foi eleito ontem por unanimidade. Substitui Ralf Schumacher, dispensado da Fórmula 1. “Meu primeiro objetivo será convencer todos os pilotos a fazer parte da GPDA. Vou falar, por exemplo, com Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton”, disse. O campeão e vice de 2007 não integram a associação.

Nelsinho Piquet errou no treino livre da manhã, ontem, ao rodar, e perdeu tempo importante. À tarde, com a quebra do câmbio, foi para a pista quando restavam apenas 18 minutos. “Certamente quando imaginei meu dia não pensei em ter tantos problemas”, disse. O novo regulamento permite a troca do motor e do câmbio às sextas-feiras sem punição para o piloto. “Mas acredito que estaremos entre os oito melhores na corrida”, previu.

Rubens Barrichello respondeu à imprensa italiana a respeito da iminente quebra do recorde de 256 GPs de Riccardo Patrese: “Sinto por ele. Riccardo merecia permanecer com o recorde, eu costumava assisti-lo na TV quando criança. Mas, desculpe, quero chegar a 300 GPs.” Com a chegada de Ross Brawn à Honda, disse nunca ter se sentido tão estimulado como agora para fazer um time crescer. Na Turquia Rubinho disputará seu 257º GP.

Nico Rosberg, da Williams, teve problemas na transmissão, pela manhã, e não treinou. Como Kazuki Nakajima, seu companheiro, usava o mesmo tipo de câmbio, a equipe decidiu substituí-lo também. Assim, cada um completou apenas 3 voltas cada. À tarde, resolvido o problema, Rosberg, mesmo tendo perdido o primeiro treino, levou a Williams à oitava colocação. O potencial do modelo FW30-Toyota é mesmo elevado.

O jornalista inglês Jonathan Noble obteve de suas fontes na McLaren que o engenheiro britânico Mike Coughlan não faz mais parte da equipe. Couglan foi o interceptador das 700 páginas de desenhos técnicos da Ferrari repassadas pelo ex-mecânico-chefe dos italianos, o inglês Nigel Stepney. A polícia encontrou o material ao revistar sua residência. Stepney, além de dispensado pela Ferrari, responde ação judicial.

Muitos se confundiram, ontem no circuito, ao acreditarem estar vendo carros da McLaren quando, na realidade, tratava-se da Force India. Os dois se assemelham na forma e na pintura. E Giancarlo Fisichella, novo contratado, levou a equipe indiana a um surpreendente nono lugar na sexta-feira. “Deveremos ter um novo pacote aerodinâmico no GP da Espanha (dia 27 de abril), o que nos permitirá crescer mais”, explicou o competente projetista, Mike Gascoyne.

FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.