Notas do GP da Europa

liviooricchio

23 de agosto de 2008 | 13h49

23/VIII/08

Os pilotos protestaram com o diretor de corrida, Charlie Whiting, e foram atendidos: o pole position vai sair do lado direito do grid. Originalmente era do lado esquerdo. Bom para Felipe Massa, autor da pole, ontem. “Não fazia sentido, os carros passam pelo lado direito e, claro, há maior aderência”, argumentou Massa.

Largar na penúltima colocação, em 19º, nunca fez parte do desempenho de Rubens Barrichello na Fórmula 1, nem mesmo quando competia pelas modestas Jordan ou Stewart. “Desde o treino da manhã não tinha aderência na traseira; na classificação foi assim também.” Rubinho usou uma nova suspensão traseira na Honda. Parece não ter sido aprovada.

O resultado de Nelsinho Piquet, 15º, foi atenuado pelo de seu companheiro de Renault, o ídolo local, Fernando Alonso, 12º. “Nosso potencial aqui não é esse”, disse. E Alonso lembrou que a estréia de Valência tem tudo para ser cheia de surpresas, o que poderia ajudá-los: “Considero bem provável a entrada do safety car na corrida”, afirmou o espanhol.

Nem tudo é festa para o organizadores da prova, em Valência. Ontem foi preciso a polícia intervir para evitar consequência maiores no protesto que um grupo de pessoas realizava em frente a sede da empresa responsável pelo GP, Valmor Sports. Motivo: seus locais quase não permitem a visão da pista. “Adquiri um ingresso por 480 euros e vejo apenas 5 metros do circuito”, disse um torcedor identificado somente pelo nome, Roberto. A Valmor prometeu estudar caso a caso.

Restaurante em autódromos representam uma necessidade. Mas dentro da área do circuito, onde é preciso cruzar a pista, e em funcionamento só em Valência, traçado criado entre as ruas da cidade. Próximo da curva 12 há o La Lonja del Pescado. Só credenciados máximos podem chegar lá. Como está longe de tudo, atende apenas aos que trabalham na pista, a exemplo dos comissários. Sua proprietária, Mariana, preferiu mantê-lo ativo. “Não tivemos muitos clientes.”

“Foi o meu melhor resultado na carreira até agora”, afirmou, muito contente, o jovem alemão Sebastian Vettel, da Toro Rosso, 21 anos, ontem. Hoje larga em sexto. Da nova geração de pilotos da Fórmula 1, é considerado o mais talentoso. Em 2009 correrá na Red Bull. “Em meu primeiro GP larguei em sétimo e aqui fiz sexto. Desde o primeiro treino o nosso carro mostrou-se muito rápido nessa pista, e não esperávamos.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.