Notas do GP da Malásia

liviooricchio

23 de março de 2008 | 13h19

23/III/08
GP da Malásia
Livio Oricchio, de Kuala Lumpur

Início
A punição a Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen, sábado na classificação, fez com que já na próxima corrida, dia 6, em Bahrein, as regras sejam mudadas. Os dois estavam lentos, regressando para os boxes, para economizar gasolina. Não é mais permitido aos dez melhores reabastecer depois da definição do grid, assim alguns pilotos regressam devagar para os boxes enquanto outros estão em suas voltas lançadas. “É uma questão de segurança. Uma opção será impor tempo mínimo para essas voltas não lançadas”, sugeriu Ross Brawn, da Honda.

Na edição de 2007 do GP da Malásia, a McLaren conquistou a primeira dobradinha do ano, com Fernando Alonso em primeiro e Lewis Hamilton em segundo, 18 segundos na frente de Kimi Raikkonen, da Ferrari. Ontem, Raikkonen cruzou a linha de chegada com uma vantagem de 38 segundos para a melhor McLaren, a de Heikki Kovalainen, terceiro. Hamilton acredita que já em Bahrein a McLaren será outra: “Fui punido na classificação, sábado (caiu de quarto para nono no grid) e no meu primeiro pit stop perdi quase 20 segundos, o que mascarou nosso desempenho.” Seria segundo sem essas dificuldades, previu.

Ron Dennis, sócio e diretor da McLaren, disse que o verdeiro potencial de seu time será conhecido no GP da Espanha, quarto do calendário, dia 27 de abril. “Barcelona será a hora da verdade”, disse o inglês. Talvez agora Dennis e a McLaren-Mercedes comecem a compreender a falta que Fernando Alonso fará à escuderia, com sua capacidade de guiar os rumos técnicos do desenvolvimento do carro.

O campeão do mundo de 2005 e 2006, Fernando Alonso, parece estar se divertindo na Fórmula 1. Anda pelo paddock à vontade, conversa, encara a competição de forma oposta à do ano passado, sempre tenso. O clima da Renault lhe fez bem mas o modelo R28 é lento. “Obtivemos o máximo que era possível, hoje, um ponto”, afirmou, resignado. A Renault testa depois da prova em Bahrein, junto com as demais equipes, em Barcelona, onde uma semana depois será disputado o GP da Espanha.

Para quem teve de dar até explicações ao delegado de segurança da Fórmula 1, Charlie Whiting, a Red Bull se deu bem, ontem, no circuito de Sepang. Mark Webber conseguiu importante sétimo lugar. David Coulthard, que deverá trocar a atividade de piloto pela de comentarista, em 2009, depois de dispensado pela equipe, foi nono. “É uma grande coisa terminar a corrida”, comentou Webber. Referia-se ao fato de a FIA desejar saber se as suspensões do carro ofereciam segurança após as quebras na Austrália e na Malásia, sexta-feira, ambas com Coulthard.

O novo menino de ouro da Fórmula 1, ao menos para muitos, o alemão Sebastian Vettel, de 20 anos, não terminou a corrida. Largou em 15º e na 39ª volta abandonou com problemas no motor Ferrari da sua Toro Rosso. Vettel deverá substituir David Coulthard na Red Bull, em 2009. “Na corrida, tive problema com a transmissão e no sistema de direção hidráulica e mais tarde todo o conjunto traseiro foi envolvido por chamas.”

FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.