Os vencedores do concurso "Assista ao GP do Brasil de Fórmula 1"

liviooricchio

17 de outubro de 2007 | 02h38

Amigos:
Depois de ler e reler todos os comentários, selecionei um grupo de 18, os quais me pareceram com maiores propriedades para chegar à fase final de análise.

À seguir, nova rodada de leituras e apenas seis seguiram na disputa. Mais uma série de observações e retirei os três comentários que melhor atenderam àquilo proposto à época do lançamento do concurso.

Tenho consciência de que a escolha não agradará a todos, mas garanto que segui critérios rigorosamente técnicos e o menos subjetivo possível. Aprendi muito com nossa competição. Numa próxima conduzirei de forma um pouco distinta e, essencialmente, com a colaboração de outras pessoas do portal do Estadão e não sozinho, como agora.

Hoje, já são três horas da manhã desta quarta-feira, dia 17. Ao longo do dia entrarei em contato com os três vencedores e combinaremos de nos encontrar em Interlagos, amanhã, quinta-feira, dia 18, para lhes repassar os ingressos e livros e percorrermos juntos os boxes, com pit stop no da Red Bull. Parabéns!

Obrigado pela profunda compreensão de todos com eventuais deslizes, mas sozinho é extremamente complexo de se tocar uma disputa como a nossa, principalmente quando se faz tantas outras coisas, como eu. Mas valeu e sinto-me recompensado pelo retorno de vocês.

Obrigado. Hoje irei ao autódromo e pretendo colocar no ar bem mais posts que nos últimos dias. Abraços!

Os vencedores:

Autor: Mauricio Neves de Jesus
1º colocado:
Kimi reafirmou sua redenção guiando à perfeição em Xangai, eaté mesmo
a sorte que lhe fugia já não falta mais. Para os anais: àespera do
tufão chinês, um veloz finlandês fez história. Duzentasvezes Ferrari.

2º colocado:
Alonso ressuscitou ao aproveitar o primeiro grande erro deLewis. E
a despeito de ser quase um estranho no ninho em seu própriotime, fez
lembrar a todos que um piloto bicampeão do mundo não morrede véspera.

3º colocado:
Felipe Massa fez uma prova correta em Xangai, e deve teraproveitado a
terra da meditação para entender que não se pode vencersempre, e que
a falta de pódios assim é que lhe afastou da briga finalpelo título.

Tema livre:
Foi a prova do domínio de Raikkonen, do erro de Lewis, daressurreição
de Alonso. Mas foi soberanamente a prova de Vettel, que teráem Xangai
2007 o que Ayrton teve em Mônaco 1984: sob chuva, um divisorde águas.

Autor: Rodrigo Odilon dos Anjos
Primeiro colocado: Felipe Massa
Impressiona em Massa a sua capacidade em ressurgir das cinzas, tal
qual um autêntico fênix. Após o desastre da Hungria, o sucesso em Is-
tambul. Como bom discípulo de Schumacher, fez barba, cabelo e bigode!

Segundo colocado: Kimi Raikkonen
O impetuoso e audacioso piloto da McLaren de ontem não é o mesmo que
hoje, acomodado e cauteloso, pilota uma Ferrari. Guiar uma Ferrari é
como jogar no Flamengo ou no Corinthians: é preciso ter paixão!

Terceiro colocado: Fernando Alonso
Sabemos que Alonso é bom de braço, de grito e de briga. Ontem vimos
que também é bom de sorte. Tudo que fez ontem na Turquia foi ver
caído em seu colo o terceiro lugar. Muito pouco para um bi-campeão!

Tema livre:
Não bastasse sermos obrigados a “vibrar” com ultrapassagens nos pit-
stops ao invés de nas pistas, a disputa deste ano é um verdadeiro
paradoxo: campeonato emocionante com corridas entediantes!

Autor: Everton Wilen
1o. COLOCADO – Lewis Hamilton
À alegria de vencer, somou-se um sentimento novo. Sai da Hungria tão (ou mais) preocupado que feliz. Desobedeceu à equipe e ainda desancou Ron Dennis. A lua-de-mel acabou. “Você nunca sabe se te odeiam”, admitiu ter questionado a si mesmo.

2o. COLOCADO – Kimi Raikkonen
Não foi tão bom como pareceu. A inconstância prejudicou a Ferrari. Apenas na volta 13 perdeu 1,5 segundo. Errou também nos giros 43 e 54. A margem apertada no fim, 0,7 segundo, e o lugar no pódio sombrearam os erros, que fizeram diferença no final.

3o. COLOCADO – Nick Heidfeld
Superou a sina: ter sempre que provar ser tão bom quanto os colegas-sensação de equipe como Raikkonen, Weber e Kubica. É seguro (e diferente com aquela barba de universitário riponga).Pensar que foi obrigado a disputar um vestibular com Pizzonia…

TEMA LIVRE – Hungaroring
A corrida da Hungria/07 esteve para a F-1 como a de San Marino/89. Foi em ambas que um bicampeão declarou guerra a um colega da McLaren. Foi em ambas que um bicampeão começou a perder a cabeça. E a equipe, o controle sobre seus pilotos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: