Que papelão, Renato Russo!

liviooricchio

24 de fevereiro de 2008 | 15h44

24/II/08
Amigos, cheguei aqui na redação neste domingo e a Erica, autora da bela e importante entrevista com Renato Russo que levou a CBA a adotar o antidoping na Stock Car, disse me que o Renato Russo mudou bastante o discurso, ontem, no programa conduzido por meu amigo Felipe Motta, na rádio Jovem Pan.

Posso até compreender as preocupações do Renato Russo com a repercussão do caso e o desgaste que deve estar experimentando com alguns colegas, apesar de a maioria desejar o antidoping há tempos. Agora, o que não dá para aceitar é ele desejar repassar para a repórter a responsabilidade pelo ocorrido, afirmando que foi “mal interpretado”.

Senhor Russo: está tudo gravado, até o que você falou e não foi publicado por falta de espaço. E DISPONÍVEL PARA QUEM DESEJAR OUVIR. Estudo a possibilidade de colocar o áudio neste blog. Não jogue fora a boa reputação de piloto e junto à imprensa que você construiu ao longo de anos de sucesso no automobilismo.

Pedi à Erica que redigisse um texto expondo o que ela ouviu na rádio e o que dispomos gravado do Renato Russo. Eis o depoimento da Érica:

Em entrevista ao repóter Felipe Motta, da Rádio Jovem Pan, Renato Russo colocou em dúvida a minha credibilidade como repórter. Disse que eu não tinha entendido bem o que ele quis dizer. Declarou que apenas respondeu sobre antidoping quando foi perguntando. Foram duas mentiras que me aborreceram muito.

Eu entendo a pressão no Renato, entendo que ele esteja confuso e que esteja tentando se defender de todas as formas que pode após ter coragem de fazer uma denúncia forte. Mas como ele pôde dizer que eu entendi errado se tenho tudo gravado? Como pôde dizer que apenas fez comentários sobre antidoping, se nem mesmo eu levantei a questão?

Ele que disse “acho que tem de ter antidoping”…e eu apenas ouvi o que ele tinha a dizer sobre o assunto.

Como um piloto de 40 anos, experiente, pôde dizer à Jovem Pan que fez “comentários como se estivesse falando com dois amigos?” se no antes da entrevista eu avisei que iria gravar tudo? Nunca quis prejudicar ninguém, não é meu jornalismo. Está tudo registrado. foi uma entrevista de mais de 40 minutos.

Aliás, preciso registrar também que estou, e muito, feliz em saber que finalmente vai sair o antidoping na Stock. Os pilotos sérios, inclusive o Renato, queriam. Agora eles conseguiram. Ponto pra Stock Car, que afirma que que não conseguia fazer os exames por causa da CBA.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.