Raikkonen estréia na Ferrari com "hat trick"

liviooricchio

18 de março de 2007 | 09h33

Material enviado à redaçao
Reportagem de F-1: Raikkonen também mostrou suas armas para Massa
GP da Austrália
Livio Oricchio, de Melbourne

Início
A maneira de expressar-se é sempre a mesma, seja para falar de uma conquista extraordinária, como a de ontem, seja para comentar o acidente de um colega. O finlandês Kimi Raikkonen foi o homem costumeiro depois de estrear na Ferrari com vitória, pole position e melhor volta (hat trick) na etapa de abertura do Mundial, em Melbourne. Sua indiferença a tudo, ao menos aparente, ratifica a cada experiência o apelido de “homem de gelo”. Indiferente ou não, Raikkonen lidera o Mundial com 10 pontos diante de 3 de Massa.

“Fazia muito tempo que não ouvia o hino da Finlândia. Já o da Itália escutava toda hora”, falou, esboçando um sorriso. Sua última vitória havia sido em Suzuka, Japão, em 2005, com McLaren. Ontem foi a décima na carreira. O hino da Itália é tocado a cada vitória da Ferrari. “Sim, é verdade, Michael Schumacher ligou, enquanto me dirigia para o pódio, mas quase não se ouvia nada”, comentou com enorme indiferença. Raikkonen esnobou Fernando Alonso, 2º, ao seu lado na coletiva: “Não exigi 100%, não havia necessidade.”

Brincou com os concorrentes. Na 46ª volta, o finlandês escapou da curva 3, sozinho. “Eu me distraí, estava pensando em outra coisa. Acontece, quando você não necessita dar seu máximo.” E ao ser questionado sobre o acidente que poderia ser sério, entre David Coulthard, Red Bull, e Alexander Wurz, Williams, na 48ª volta, falou: “Vi apenas no telão.” Sua tranquilidade foi tal que se deu ao luxo de desviar o olhar para os telões espalhados pelo circuito Albert Park.

“Tive apenas uma dificuldade. Pouco antes da largada o rádio deixou de funcionar. Nos comunicamos por placas. Como não fui exigido, cumpri o programado quanto aos pit stops e não tivemos problemas”, explicou, para que Fernando Alonso e Lewis Hamilton, da McLaren, sentados ao seu lado, compreendessem bem suas facilidades. Falou não sentir muita diferença no comportamento do F2007 com os pneus duros e os macios, como manda a regra agora, nova variável nas corridas, mas que pouco alterou o seu andamento normal.
FIM

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.