Sem dificuldades maiores, Vettel e Webber largam na primeira fila

liviooricchio

16 de março de 2013 | 23h58

17/III/13
Melbourne

Foi só o asfalto dos 5.303 metros do circuito Albert Park começar a secar, há pouco neste sábado, na sessão que definiu o grid da etapa de abertura do Mundial, em Melbourne, para a equipe Red Bull ratificar a sua esperada vantagem: Sebastian Vettel estabeleceu a pole position do GP da Austrália e seu companheiro de Red Bull, Mark Webber, o segundo tempo. O terceiro foi Lewis Hamilton, com ótima estreia na Mercedes. Felipe Massa, da Ferrari, começou bem a temporada: classificou-se em quarto, um posição à frente do parceiro, Fernando Alonso.

A largada da corrida será às 3 horas da madrugada deste domingo, no horário de Brasília, 17 horas em Melbourne, portanto daqui a poucas horas. A classificação foi adiada de ontem para hoje em razão das fortes chuvas na Austrália.

Enquanto havia ainda algum volume de água na pista, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, a dupla da Mercedes, nesse momento os adversários mais próximos de Vettel e Webber em uma volta lançada, conseguiram lutar pelos melhores tempos. Mas a cerca de quatro minutos do fim do Q3, a última parte do treino de classificação, os dez pilotos que lutavam pela pole position pararam nos boxes para substituir os pneus Pirelli intermediários pelos slick, lisos, para asfalto seco.

Aí a impressionante eficiência do modelo RB9-Renault da Red Bull, já evidenciada nos primeiros treinos livres, sexta-feira, acabou ajudando Vettel e Webber a, sem maiores dificuldades, registrarem 1min27s407, tempo da pole, e 1min27s827. O primeiro adversário da Red Bull na sessão encerrada às 22h30 de hoje, horário de Brasília, foi Lewis Hamilton, da Mercedes, com 1min28s087. Diferença de Vettel para Hamilton: 680 milésimos, considerável. “Acredito que seria maior se as condições do clima estivessem mais estáveis”, afirmou ao Estado, Jackie Stewart, piloto escocês três vezes campeão do mundo.

Vettel comentou a primeira pole do ano, a 37.ª da carreira: “Competir nessas condições variáveis é sempre difícil. É fácil você errar ou acontecer algo que comprometa o resultado. Mas o carro tem estado muito bom durante todo o fim de semana e meu feeling era que de poderíamos conquistar a pole.”

O jovem alemão de 25 anos, mas já tricampeão do mundo, alertou, no entanto: “Daqui a pouco vamos disputar a corrida e será um grande desafio porque estamos vivendo as mesmas temperaturas dos testes de Barcelona, onde a degração dos pneus foi bem alta. Não sabemos o que esperar das 58 voltas da corrida.” A temperatura do asfalto não passou de 13 graus durante a definição do grid.

Os dez primeiros pilotos do grid vão largar com os pneus Pirelli supermacios, os usados no treino, como manda a regra. Como eles não devem atingir a temperatura para a qual foram concebidos, a degradação é rápida. “Não sabemos quantas voltas poderemos dar antes do primeiro pit stop”, comentou Webber.

A estimativa é que nessas condições, com o frio inesperado, 16 graus a temperatura ambiente, não passe de 7 ou 8 voltas. O outro pneu é o médio. Na sexta-feira, com o asfalto a 36 graus Celsius, os supermacios podiam completar até 15 voltas e os médios cerca de 25. A Pirelli produziu pneus este ano de ainda mais breve útil para aumentar o número de pit stops e tornar as provas menos previsíveis.

Depois de perder a primeira disputa do ano para Massa, Alonso declarou para a imprensa espanhola: “Estou encantado com a luta com Felipe. Estamos acostumados que seja no fim do ano 17 a 2 para mim e agora está 0 a 1. Vamos ver como fica depois”. O espanhol é considerado o piloto mais completo hoje da Fórmula 1, mas o ótimo conceito do piloto não pode ser estendido ao homem Fernando Alonso Dias. É claramente, como em tantas oportunidade já demonstrou, um mau perdedor.

Hamilton, com a Mercedes, em terceiro, e Jenson Button, com a McLaren, sua ex-equipe, em décimo. “Não vejo as coisas dessa forma. O importante é que nosso time fez um trabalho fantástico, em especial se você considerar onde eles estavam no ano passado. Agora, esses dois caras aqui do lado (Vettel e Webber) estão muito rápidos.”

Depois de Vettel, Webber, Hamilton, Massa, Alonso, vêm no grid: Nico Rosberg, Mercedes, sexto, Kimi Raikkonen, Lotus, sétimo, Romain Grosjean, Lotus, oitavo, Paul Di Resta, Force India, nono, e Button, décimo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.