Testes em Bahrein, de 3 a 6 de março, poderão ser em Barcelona

liviooricchio

18 de fevereiro de 2011 | 09h42

19/II/11

Olá amigos:

 Escrevo aqui da sala de imprensa do Circuito da Catalunha, em Barcelona.

Intervalos nos treinos. Agora são 13h10, a temperatura ambiente é de 14 graus Celsius e a da pista, 27.

 Alonso completou 37 voltas e tem o melhor tempo, 1min25s485. Conversava como pessoas das equipes com quem falo regularmente e me disseram que hoje à tarde os representantes dos times irão se reunir para tomar uma decisão sobre os testes em Bahrein, de 3 a 6 de março.

Eles me disseram, também, que já entraram em contato com a administração do circuito de Barcelona para saber se seria possível realizar os testes de Bahrein aqui mesmo. Também já ligaram para os responsáveis pelo circuito de Abu Dhabi.

 “Mas há resistência por Abu Dhabi por que se cancelarem a prova de Bahrein todo o material estará em Abu Dhabi. Teríamos deslocado tudo para o Oriente Médio, o que custa caro, desnecessariamente”, disse-me a fonte.

“A agenda de Barcelona está lotada de 3 a 6 com outro evento e os administradores estudam a possibilidade de ser transferido para os treinos da Fórmula 1, que seriam em Bahrein, passarem para cá”, disse-me o colega da equipe.

 A respeito de um eventual cancelamento da etapa de abertura do Mundial, dia 13 de março no Circuito de Sakhir, a questão é um pouco mais complexa, pois envolve, por exemplo, a taxa do promotor paga à Formula One Management, (FOM) US$ 35 milhões. E um dos únicos motivos que podem fazer um promotor de GP cancelar a prova e não pagar à FOM é uma tempestade política, como ocorre agora em Manama, capital barenita.

Portanto, Ecclestone e o príncipe Al-Khalifa vão esperar até o último instante antes de decidir se o GP de Bahrein será ou não cancelado. O que é quase certo é que os testes de 3 a 6 de março não serão lá. Integrantes das equipes de Fórmula 1 com investimentos na GP2 contavam, hoje de manhã, as peripécias dos colegas que foram a Manama, para a etapa da GP2 asiática, e tentam voltar já que a corrida foi cancelada.

A Fórmula 1 não quer passar pela mesma experiência desgastante e perigosa, principalmente por causa de as tensões no Reino de Bahrein terem crescido e os manifestantes já terem anunciado que vão aproveitar a presença da imprensa internacional que acompanha a Fórmula 1 no Circuito de Sakhir “para protestar e o mundo ver”.

Lá pelas 17h30 daqui, 14h30 de Brasília, deverei ter mais notícias do caso.

Abraços!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.