Título será decidido em Interlagos. Massa, otimista.

liviooricchio

19 de outubro de 2008 | 13h56

19/X/08
GP da China
Livio Oricchio, de Xangai

Lewis Hamilton venceu os imensos desafios que o GP da China lhe apresentava e ganhou, ontem, a penúltima etapa do campeonato com grande autoridade. Mas o segundo lugar de Felipe Massa em Xangai, auxiliado por seu companheiro de equipe, Kimi Raikkonen, que lhe deu passagem, transferiu a decisão do título para Interlagos, dia 2, etapa final da temporada.

Apesar da condição bastante favorável de Hamilton, 94 pontos diante de 87 de Massa, o piloto da Ferrari afirmou: “Tenho enorme confiança de que posso ganhar a corrida e depois vamos ver o que acontece”. Todos os ingressos para o GP do Brasil estão esgotados há meses.

Depois de a Ferrari vencer três das quatro edições do GP da China, Massa acreditava dispor, ontem, de um carro mais eficiente. “Não posso reclamar, o carro não estava ruim, mas simplesmente não tínhamos velocidade para acompanhar a McLaren de Hamilton”, disse Massa.

A segunda colocação o deixou numa condição difícil no Mundial. Apenas a vitória ou o segundo lugar em Interlagos podem lhe dar o título, dependendo ainda da colocação de Hamilton. “Sinto-me como numa final de Copa do Mundo onde o jogo terminou empatado e foi para os pênaltis”, comparou Massa.

“O meu concorrente fez dois gols e eu perdi os dois. Agora tenho de ir para as últimas tentativas podendo apenas acertar e torcer para ele errar”, disse o piloto da Ferrari. “Isso já aconteceu em Copa do Mundo e na Fórmula 1 também, por isso o que tenho a fazer é chegar no Brasil com a cabeça erguida.”

Massa acredita que a Ferrari terá desempenho nos 4.309 metros de Interlagos bastante distinto do demonstrado nos 5.451 metros do Circuito de Xangai.

“Quando você joga em casa, diante do seu público, joga sempre melhor. Lógico que seria melhor chegar a São Paulo com mais pontos para poder lutar de igual para igual com o Hamilton, mas vamos dar tudo de nós”, comentou o piloto da Ferrari.

Será a 11ª vez nos 12 últimos mundiais que a Ferrari se apresenta para a etapa de encerramento da temporada na condição de conquistar um dos títulos em disputa ou já ter garantido o Mundial de Pilotos ou Construtores. Só em 2005, em razão de os pneus Bridgestone não acompanharem os da Michelin, ficou de fora da luta.

Apesar do foco em ser campeão, Massa falou sentir-se contente com o fato de a decisão do título se entender para Interlagos. É a quarta vez seguida que o campeonato será decidido no GP do Brasil. “Tenho orgulho de ser o primeiro brasileiro a chegar a Interlagos com chances de ser campeão, isso me estimula ainda mais para tentar conquistar o título, que seria um sonho para mim.”

Os oito mundiais conquistados pelos pilotos brasileiros foram no exterior. Emerson Fittipaldi na Itália, em 1972, e nos Estados Unidos, 1974; Nelson Piquet nos Estados Unidos, 1981, África do Sul, 1983, e Japão, 1987; e Ayrton Senna definiu seus campeonatos sempre no Japão, 1988, 1990 e 1991. “A equipe está unida e depois da experiência do ano passado convicta de que podemos repetir aquele resultado”, explicou Massa.

Em 2007, Hamilton sai da China com uma vantagem de 7 pontos para Raikkonen, como agora com relação a Massa. Na corrida ded São Paulo, o piloto da McLaren saiu da pista ainda na primeira volta, depois enfrentou uma pane elétrica, perdeu ainda mais posições e terminou em sétimo. Com a vitória, Raikkonen conquistou surpreendentemente o campeonato. “Vou rezar para a Ferrari ser competitiva em Interlagos e para, quem sabe, o Hamilton ter de novo algum problema”, falou Massa.

A prova de ontem foi uma das menos emocionantes do calendário, por conta da superioridade técnica da McLaren, magistralmente aproveitada por Hamilton. Fernando Alonso levou a Renault a outro bom resultado, quarto, enquanto Robert Kubica, da BMW, com o sexto lugar, ficou de fora da luta pelo título, pois soma agora 75 pontos, 19 a menos de Hamilton. “Não contava mesmo em ser campeão. Agora me resta lutar para manter o terceiro lugar no campeonato”, afirmou Kubica. Raikkonen, com o terceiro lugar, ontem, está com 69, quarto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.