Toyota apela da punição a Jarno Trulli

liviooricchio

29 de março de 2009 | 22h40

29/III/09
Livio Oricchio, de Melbourne

A direção da Toyota decidiu apelar da decisão dos comissários desportivos que impuseram a punição de 25 segundos ao tempo de prova de Jarno Trulli. Ele teria ultrapassado Lewis Hamilton, da McLaren, para assumir o terceiro lugar, sob bandeira amarela, quando o safety car estava ainda na pista, na 57.ª volta, a uma da bandeirada. O resultado da corrida pode, portanto, mudar de novo se o protesto for acatado. Não há data de julgamento.

A última vez que uma equipe estreou na Fórmula 1 e venceu com dobradinha ocorreu no dia 4 de julho de 1954, no GP da França, disputado em Reims. A Mercedes entrou na competição com o argentino Juan Manuel Fangio e o alemão Karl Kling, que pilotaram o modelo W196. Fangio foi primeiro e Kling cruzou um décimo de segundo atrás. O francês Robert Manzon, da Ferrari, completou o pódio, com uma volta a menos.

Em 1977, a equipe do milionário canadense Walter Wolf disputou seu primeiro GP de Fórmula 1 na Argentina, no dia 9 de janeiro. O sul-africano Jody Scheckter venceu com o modelo WR1-Cosworth, depois que José Carlos Pace, com Brabham BT45-Alfa Romeo, não suportou o esforço físico nas voltas finais, sob calor intenso, e perdeu rendimento. Carlos Reuteman, com Ferrari 312T2, foi terceiro.

Ross Brawn impressionou o que conversavam com ele depois corrida, ontem: “Nós vamos começar a trabalhar em breve no programa do carro de 2010 porque com o fim do reabastecimento de combustível a sua concepção terá de ser bem distinta da do modelo que usamos agora”. E Richard Branson, do grupo Virgin, confirmou negociações no sentido de adquirir o time e, se todos os demais times concordarem, substituir Brawn GP por Virgin.

Sebastian Vettel, da Red Bul, chegou no paddock louco da vida com Robert Kubica, da BMW. Na 55.ª volta, os dois lutavam pelo segundo lugar e bateram. “Ele estava com os pneus duros, bem mais rápido. Tinha o carro já na minha frente (na curva 3), mas não me sobrou espaço.” Os comissários, no entanto, julgaram Vettel culpado pelo acidente e lhe puniram com a perda de 10 colocações no grid no GP da Malásia.

Robert Kubica, autor de corrida excelente, como a de Vettel, comentou sobre o acidente que tirou os dois do pódio: “Se fosse a última curva da última volta, ok, mas é a primeira corrida, o mais importante é somar pontos”. O polonês tinha planos ambiciosos: “Meus pneus duros me davam bem mais velocidade que Vettel e Button (líder), os dois com o mole. Tinha chance de ganhar a corrida.” Button possuía apenas 4 segundos e 398 milésimos de vantagem àquela altura.

Quase todo mundo disse que Felipe Massa teria em Kimi Raikkonen um duríssimo concorrente este ano. A má temporada de 2008 era coisa do passado para o finlandês. Mas ontem o campeão do mundo de 2007 não foi diferente do piloto do ano passado. “Errei, foi minha culpa.” Na 54.ª volta, perdeu o controle da Ferrari F60 e bateu no muro. “Poderia ter sido segundo”, lamentou.