As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A luta diária de Scott Machado

Marcius Azevedo

26 de setembro de 2012 | 11h59

Scott Machado vive uma roda-gigante de emoções desde que assinou contrato (não garantido) com o Houston Rockets. O brasileiro alcançou o sonho de entrar na NBA, mas, ao mesmo tempo, precisa provar o seu valor para continuar de fato na Liga.

Explicação: o time do Texas conta atualmente com 20 jogadores em seu elenco. Até o início da temporada, no dia 30 de outubro, cinco terão de ser cortados.

O brasileiro luta em cada treino para sobreviver ao facão que será imposto pelo gerente geral dos Rockets, Daryl Morey.

A tarefa não é fácil. Scott Machado pôde respirar aliviado um dia e, no seguinte, viu novamente sua missão ficar mais complicada.

O sentimento foi de alegria após o Houston dispensar o armador Diamon Simpson, ficando com 19 jogadores. Depois foi a vez de Courtney Fortson, também armador, deixar o time do Texas e já acertando com o Los Angeles Clippers. Eram 18.

O problema é que dois outros armadores desembarcaram em Houston nesta quarta-feira: Kyle Fogg e Demetri McCamey. Agora são 20 novamente.

Fogg, que foi formado pela Universidade do Arizona, teve médias de 9,6 pontos, 2,8 rebotes e 2,2 assistências em 139 jogos (119 como titular) no basquete universitário. O armador não impressionou na Liga de Verão, com apenas uma partida e míseros quatro pontos e quatro erros.

Já McCamey, que fez cinco jogos pelo Chicago Bulls na Liga de Verão, foi formando pela universidade de Illinois e estava no Mersin Büyüksehir Belediyesi, da Turquia. No basquete universitário, o armador registrou média de 12,3 pontos e 5,2 assistências.

Scott Machado terá de continuar mostrando que pode acrescentar algo diferente ao time para ficar no grupo de 15 jogadores para o início da temporada.

Tudo o que sabemos sobre:

Scott Machado; Houston Rockets

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.