As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

All-Star Game foi um show com “S” maiúsculo

Marcius Azevedo

17 de fevereiro de 2014 | 08h58

Um jogador da NBA é naturalmente difícil de ser marcado. Imagina os 24 melhores da liga em um jogo em que não há muita (ou nenhuma) preocupação defensiva! Imaginou? O resultado foi o maior placar da história do All-Star Game, o tradicional jogo das estrelas que reúne os times do Leste e Oeste.

Com LeBron James enterrando uma bola atrás da outra sem contestação e uma propulsão de arremessos de três de pontos bem posicionados, o Leste venceu por 163 a 155.

O recorde foi conquistado com 15 pontos de folga. O All-Star Game com maior pontuação havia sido em 1987, em jogo disputado no Kingdome Seattle Center Coliseum, com o placar de 154 a 149 para o Oeste e 303 na somatória das equipes. Neste domingo, em New Orleans, o total foi de 318 pontos.

As equipes também bateram o recorde de pontos em um único jogo com 155. A marca havia sido alcançada em 2003, pelo time Oeste.

Os recordes não param por aí: os 165 pontos até o intervalo superaram a maior pontuação nos dois primeiros quartos que era de 157, em 1988 e 2012. O time do Oeste também fez 89 apenas em um período, outra marca que caiu em 2014.

Não podemos esquecer ainda das bolas de três pontos. Foram 100 tentativas (mais um recorde), com 30 acertos. Carmelo Anthony, claro, alcançou mais um recorde: converteu oito arremessos.

O All-Star Game de New Orleans foi, sem dúvida, foi uma festa como se esperava. Com direito, claro, ao momento de seriedade. No último período, o Leste apertou um pouco na marcação e virou o placar.

A vitória da equipe de LeBron James e companhia encerrou o jejum do Leste que perdurava desde 2010. O MVP (melhor jogador do jogo) foi o armador Kyrie Irving, do Cleveland Cavaliers, que anotou 31 pontos e distribuiu 14 assistências.

Confira os melhores momentos do All-Star Game:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.