Anderson Varejão, aplausos e o respeito ao ídolo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Anderson Varejão, aplausos e o respeito ao ídolo

Pivô de 38 anos foi recebido como deveria pelo torcedor na reestreia pelo Cleveland Cavaliers após mais de cinco anos

Marcius Azevedo

06 de maio de 2021 | 16h27

Foram pouco mais de cinco anos ou 1.902 dias entre o último jogo pelo Cleveland Cavaliers e sua reestreia pela franquia da NBA. A reação da torcida (ainda em pequeno número por causa da pandemia) no Rocket Mortgage Fieldhouse evidência o tamanho de Anderson Varejão.

O pivô de 38 anos é ídolo. Valorizado pelos anos de dedicação aos Cavs.

Foram 12 temporadas e meia atuando com energia, brigando por todos os lances. Quase foi campeão duas vezes pela franquia, sendo derrotado nas finais em 2006-07 e 2014-15, ambas ao lado de LeBron James. Ao todo são foram 4.905 pontos, 4.839 rebotes, 747 assistências e 436 tocos. É o oitavo jogador em número de partidas na temporada regular na história da franquia.

O casamento com o Cleveland foi desfeito por uma troca com o Portland Trail Blazers em 18 de fevereiro de 2016. Após defender o Golden State Warriors (até fevereiro de 2017), voltar ao Brasil para atuar pelo Flamengo (até 2019) e ficar um tempo afastado para curtir o nascimento da filha, Varejão voltou para o time em que atuou pela primeira vez em 2004.

Foram exatos 6 minutos e 37 segundos em quadra na quarta-feira.

Apesar do pouco tempo em um jogo que já estava decidido (Portland Trail Blazers liderava o placar por 119 a 92), o brasileiro conseguiu pegar seis rebotes, sendo dois ofensivos, dar uma assistência, um toco e anotar um ponto.

Os números, neste caso, não importam muito, mesmo sendo razoáveis.

Varejão merece aplausos por tudo que fez na carreira, por tudo que fez pela franquia de Ohio. E, aos 38 anos, se decidir se aposentar após esta última passagem, será atuando na NBA, o que só exemplifica o tamanho de suas realizações.

Tudo o que sabemos sobre:

Anderson VarejãobasqueteNBA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.