As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Barbudo Harden prova ao Thunder que merecia mais

Marcius Azevedo

21 de fevereiro de 2013 | 10h29

Pouco antes do início da temporada, James Harden deixou o Oklahoma City Thunder porque queria ganhar mais do que o vice-campeão da NBA podia pagar.

A troca com o Houston Rockets, que logo renovou o contrato do ala para pagar o que ele desejava, não poderia ter sido melhor para o barbudo mais famoso da liga norte-americana. No Texas, Harden saiu da sombra de Kevin Durant e Russell Westbrook e, e voo solo, está arrebentando.

Na noite de quarta-feira quem sofreu não mão do barbudo foi justamente o seu ex-time. Harden bateu o seu recorde pessoal de pontos ao anotar 46 na vitória sobre o Thunder por 122 a 119.

E não foi só isso: o ala fez 16 apenas no último quarto, quando liderou os Rockets que perdiam por cinco pontos antes do início do derradeiro período.

Além dos 46 pontos, Harden, que acertou (pasmem!!!) 14 de 19 arremessos (7 de 8 nos três pontos, sendo uma do meio da quadra), terminou o jogo com oito rebotes e seis assistências.

“Eu sinceramente não sei o que mais ele precisa fazer para estar entre os nomes comentados para ganhar o prêmio de MVP”, afirmou Jeremy Lin, que também teve boa atuação na vitória do Houston. O armador anotou 29 pontos, deu oito assistências e amealhou seis rebotes.

Kevin Durant e Russell Westbrook, claro, tiveram boas atuações. Durant conseguiu o seu segundo triplo-duplo na carreira, com 16 pontos, 12 rebotes e 11 assistências, enquanto Westbrook alcançou um duplo-duplo, com 29 pontos e 10 rebotes, além de oito assistências.

Harden também terá um novo companheiro. O Houston fechou uma troca com o Sacramento Kings hoje, último dia para negociações na NBA. Os Rockets receberam Thomas Robinson, número do 5 draft, além de Francisco Garcia e Tyler Honeycutt. Patrick Patterson, Cole Aldrich e Toney Douglas foram para os Kings.

Confira o vídeo da atuação sensacional de Harden contra o ex-time:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.