Basquete do Botafogo tem quatro meses de salário atrasado, ordem de despejo para jogadores e futuro sombrio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Basquete do Botafogo tem quatro meses de salário atrasado, ordem de despejo para jogadores e futuro sombrio

Situação financeira é gravíssima e não há perspectiva de que o cenário irá mudar

Marcius Azevedo

18 de abril de 2020 | 17h05

O atual grupo do Botafogo conquistou o troféu mais importante da história do clube no basquete. A esperança de dias melhores após faturar o título da Liga Sul-Americana em dezembro de 2019 rapidamente se transformou em pesadelo para os jogadores neste ano.

São quatro meses sem receber salário. O quinto mês de atraso faz aniversário no dia 5 de maio, sem qualquer perspectiva de os jogadores receberem. A situação financeira é gravíssima. A pandemia do coronavírus só serviu para ampliar o drama do basquete do Botafogo.


O armador Coelho é o capitão da equipe de basquete do Botafogo. Foto: LNB

Dois jogadores atrasaram o aluguel dos apartamentos onde moravam no Rio e sofreram uma ordem de despejo. Sem perspectiva, Wesley Sena e Mogi voltaram para Campinas e Mogi Guaçu, respectivamente, cidades onde nasceram. Alguns atletas estão com dificuldade até comprar itens básicos.

Questionado pelo blog sobre o momento de dificuldade dos jogadores e das pessoas que trabalham com o basquete no Botafogo, o técnico Léo Figueiró desabafou. “Está realmente muito complicado. Entendemos que o mundo vive um momento de incertezas por conta do coronavírus e que isso acaba afetando todas as áreas, mas é preciso entender o nosso lado, também. Até porque esse é um problema que já vem no basquete do Botafogo desde antes da pandemia. Temos compromissos para honrar e contas para pagar. É muito caótico para qualquer trabalhador ficar sem receber por quatro meses e meio, pois acaba colocando famílias em situações extremas, de dificuldade e constrangimento. Esperamos que isso se resolva logo.”

O mesmo fez o armador Coelho, capitão da equipe, ao ser procurado pelo blog. Ele fala em nome do grupo, que sofre sem receber há quase cinco meses, e ainda alimenta um pouco de esperança de o Botafogo colocar tudo em dia.

“Confio na diretoria e espero que as coisas se resolvam logo, pois a situação está ficando realmente insustentável. Nosso grupo sempre deixou tudo em quadra, alcançamos feitos importantes ao longo desses anos e temos muito orgulho de defender a camisa do Botafogo. Mas é preciso que entendam que já são quatro meses de salário atrasado e isso prejudica a vida de todos, pois temos família e contas para pagar”, afirmou.

O blog enviou mensagens ao presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej, mas o dirigente não respondeu até o texto ser publicado.

Neste cenário de terra arrasada é pouco provável que o Botafogo continue na disputa do NBB. A competição está paralisada desde 15 de março por causa do avanço da covid-19 e ainda não há previsão de retomada, apesar do desejo da Liga Nacional de Basquete de fechar esta temporada em quadra.

A verdade é que o futuro do basquete do Botafogo é sombrio. Ou melhor, pode não existir futuro para o basquete do Botafogo. Tudo isso após conquistar o principal título de sua história.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteBotafogonbb novo basquete brasil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.