As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bruno Caboclo tem futuro incerto na NBA

Ala continua jogando na D'League e panorama não é favorável no Toronto Raptors

Marcius Azevedo

23 de dezembro de 2015 | 16h00

Enquanto o Toronto Raptors superava o Dallas Mavericks no Air Canada Centre para um público de 19.800, pela temporada regular da NBA, Bruno Caboclo enfrentava o Sioux Falls Skyforce pela D’League (Liga de Desenvolvimento) para 3.030 pessoas no Sanford Pentagon.

O brasileiro foi um dos destaques da derrota do Raptors 905. O ala de 20 anos anotou 17 pontos (7/17 nos arremessos) e amealhou cinco rebotes. Em média, Caboclo jogou 32,3 minutos (em 15 jogos), com 14,1 pontos, 5,5 rebotes e 1,5 assistências, além de 1,8 tocos.

Os números são bons, mas não são suficientes para levá-lo de volta ao elenco principal do Toronto Raptors. O técnico Dwane Casey, até aqui, utilizou Caboclo por apenas um minuto na temporada da NBA, foi contra o Philadelphia 76ers, no dia 11 de novembro.

Confira vídeo com o melhor desempenho de Caboclo na D’League:

A verdade é que o sonho de atuar na maior liga de basquete do mundo, por enquanto, tem sido um pesadelo para o brasileiro. Selecionado na surpreendente 20ª posição (primeira rodada) do draft de 2014, Caboclo não correspondeu.

A primeira temporada foi bastante complicada, com problemas de adaptação dentro e fora de quadra. O ala jogou apenas 24 minutos em oito jogos, sendo que 50% deste tempo foi na partida contra Milwaukee Bucks, quando atuou por 12 minutos e registrou o recorde pessoal de pontos na NBA, com oito.

A expectativa era de Caboclo pudesse ser mais utilizado nesta temporada. O ala mudou de agente por acreditar que o anterior não fez o plano correto para o desenvolvimento da carreira. Mas nada mudou para o brasileiro. Só piorou porque o Toronto Raptors se reforçou na posição de ala, com DeMarre Carroll, que havia sido um dos destaques do Atlanta Hawks.

O futuro do jogador é incerto. Ele ainda tem mais três anos de contrato – salários de US$1,324,700, US$ 2,042,687 e US$2,927,171, respectivamente -, mas, por enquanto, não há garantia de que Caboclo será utilizado em um futuro próximo.

A NBA costuma ser cruel.

Um jogador bastante experiente na liga confidenciou ao blog recentemente que não acredita que Caboclo terá vida longa no basquete norte-americano. Outro aspecto será saber o tamanho da paciência do ala. Até quando ele vai aceitar ficar na D’League?

O panorama, neste momento, não é favorável para Caboclo.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteBruno CabocloNBAToronto Raptors

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.