Com Léo Figueiró, seleção ganha mais energia e um estudioso do basquete
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com Léo Figueiró, seleção ganha mais energia e um estudioso do basquete

Treinador do Botafogo recebe o reconhecimento de Aleksandar Petrovic e será importante na briga pela vaga em Tóquio

Marcius Azevedo

28 de novembro de 2019 | 09h00

A seleção brasileira masculina ganhou um reforço importante para buscar sua classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Léo Figueiró, técnico do Botafogo, é o mais novo assistente técnico de Aleksandar Petrovic e vai atuar ao lado de César Guidetti, do Pinheiros, e Bruno Savignani, do Corinthians.

A escolha é reconhecimento do excelente trabalho realizado no Botafogo. O treinador levou o time alvinegro à semifinal do NBB na temporada passada, sendo eleito o melhor técnico da competição, e, nesta temporada, chegou à decisão da Liga Sul-Americana. A final será contra o Corinthians no começo do mês de dezembro.

Léo Figueiró faz ótimo trabalho no Botafogo. Foto: João Pires/LNB

O treinador tem uma excelente gestão de grupo, com todos os jogadores se dedicando por ele, além de muito estudo e, claro, um forte lado emocional. A energia que Léo Figueiró conduz o time do lado de fora contagia o time dentro dela.

Além disso, ele traz uma bagagem enorme, quando foi assistente técnico em bons trabalhos por Rio Claro e Caxias do Sul.

Antes de ganhar uma oportunidade na seleção principal, Léo Figueiró já havia sido chamado pela Confederação Brasileira de Basquete para comandar seleções de base. E, claro, saiu vitorioso.

“Ao mesmo tempo que é um reconhecimento do que eu venho fazendo, é um voto de confiança tremendo da CBB. Uma oportunidade sem tamanho de aprendizado. O Petrovic tem uma carreira e história muito grande no basquete. Eu espero poder ajudá-lo da melhor maneira possível”, afirmou o treinador, ao site da CBB.

“Estou de corpo e alma nisso aí. No que puder ajudar, ele pode contar comigo. Fantástico entrar nesse momento. Copa América, vaga olímpica. Não tenho palavras para dizer a felicidade de entrar nessa comissão técnica com o Bruno e o Cesinha, que admiro muito. Espero contribuir para que o Brasil possa conseguir essa vaga olímpica”, completou.

Tendências: