As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com pedido de suspensão indeferido, eleição da FPB acontece nesta sexta-feira

Atual presidente, Enyo Correia é candidato único para o quadriênio de 2020-2024

Marcius Azevedo

19 de dezembro de 2019 | 19h47

O pedido impetrada pela chapa de oposição, formada por Marco Antonio Aga, Antonio Souza e Paulo Tadeu, para impedir a realização da eleição da Federação Paulista de Basketball, foi indeferido pelo juiz Rodolfo César Milano, da 43ª Vara Cível, nesta quinta.

Com isso, o pleito para escolha da diretoria e dos membros do conselho fiscal para o quadriênio de 2020-2024 está confirmado para esta sexta-feira. A primeira convocação será às 10h, sendo necessário 50% mais um dos associados. A segunda chamada será às 11h, com qualquer número dos associados.


Atual presidente, Enyo Correia é candidato único para o quadriênio de 2020-2024. FOTO: FPB

Atual presidente, Enyo Correia é candidato único. A chapa da oposição não conseguiu o apoio necessário (três cartas de equipes profissionais, três das categorias de base e três de delegados regionais) para se inscrever no pleito. Todos os seis delegados enviaram o documento de apoio para Enyo, da chapa “Juntos pelo Basketball”.

Não está autorizado adentrar ao recinto qualquer membros de imprensa em geral, segundo resolução assinada pelo presidente Enyo Correia.

A advogada Erika Parisi de Oliveira Machado fez dois pedidos principais na ação: suspensão dos efeitos da alteração do estatuto da FPB, que o documento teria acontecido em um processo fraudulento, e suspensão da assembleia geral ordinária. Nenhum deles foi aceito pelo juiz.

“Indefiro o pedido de tutela provisória de urgência. Tendo em vista que o primeiro réu ingressou espontaneamente nos autos, e que o segundo réu possui conhecimento inequívoco da ação, aguarda-se o decurso do prazo de contestação (15 dias)”, escreveu Rodolfo César Milano.

Em contato com o blog, Marco Antonio Aga lamentou que o pedido tenha sido indeferido e que é impossível participar de uma eleição neste atual cenário. “É um processo que favorece quem está no comando da entidade. Ele (Enyo) já tinha o apoio dos delegados em setembro. A FPB tem um estatuto arcaico, algo que não poderia mais acontecer no Brasil. Não há democracia. Todos teriam de ter o direito de participar da eleição”, afirmou. Enyo não quis se pronunciar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.