Corpo de Kobe pede descanso; cabeça não permite parar
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Corpo de Kobe pede descanso; cabeça não permite parar

Aos 36 anos, o astro terá longos nove meses de recuperação e, por enquanto, descarta qualquer possibilidade de se aposentar

Marcius Azevedo

30 de janeiro de 2015 | 10h30

Não há sucesso sem esforço. Kobe Bryant lutou sua carreira inteira para superar limites e tentar destronar o maior de todos, Michael Jordan. A obsessão tem um preço. Aos 36 anos, o astro do Los Angeles Lakers descobriu que ele é alto.

O corpo pede descanso. A cabeça não permite.

Dono de cinco títulos da NBA, terceiro maior cestinha da liga, um prêmio de MVP da temporada, Kobe enfrenta mais uma batalha para prosseguir. Não há possibilidade de parar. Um atleta obcecado não admite parar desta maneira, longe dos holofotes, sem ouvir os aplausos.

Serão longos nove meses de recuperação da cirurgia no ombro direito. A terceira lesão em três anos. Em 2013, ruptura do Tendão de Aquiles da perna direita. No ano passado, o joelho foi o problema.

Kobe Bryant vai ficar noves meses afastado das quadras (AP)

Kobe Bryant vai ficar noves meses afastado das quadras (AP)

Kobe transforma cada nova adversidade em desafio.

O astro sempre fez isso ao longo de sua carreira. Desafiou treinadores, companheiros… Ele queria que lhe impusessem limites para poder superá-los. Provar que todos estavam errados.

Agora o jogador tem mais um obstáculo (talvez o maior da vida) pela frente. Kobe aposta que vai voltar mais forte para encerrar com dignidade uma brilhante carreira. Mais uma vez muitos duvidam disso.

A dúvida, claro, será o combustível do astro. Resta saber se, desta vez, o fardo não será pesado demais para Kobe. Saber aceitar o limite do corpo também faz parte da carreira dos grandes atletas.

Não há dúvida de que o legado que ele construiu ficará para sempre.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteKobe BryantNBA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.