‘É minha melhor temporada. Quero jogar ainda melhor nos playoffs’, diz Lucas Mariano, do São Paulo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘É minha melhor temporada. Quero jogar ainda melhor nos playoffs’, diz Lucas Mariano, do São Paulo

Cotado ao prêmio de MVP do NBB, pivô vê o time no mesmo nível de Flamengo e Minas, mas que é necessário provar na quadra para conquistar o título

Marcius Azevedo

23 de abril de 2021 | 15h46

Com médias de 19,6 pontos e 6,6 rebotes, Lucas Mariano vive uma temporada especial no São Paulo. O pivô de 27 anos está cotado ao prêmio de MVP do Novo Basquete Brasil (NBB), mas o foco é na conquista do título, algo fundamental, segundo ele, para o projeto continuar forte no Morumbi.

Em entrevista exclusiva ao blog, o jogador afirma que vive sua melhor temporada e que o São Paulo tem condições de derrubar o favoritismo de Flamengo e Minas, algo que não aconteceu na Copa Super 8 (perdeu para o Rubro-negro na decisão) e na Champions League das Américas, quando foi superado pelos dois adversários na semifinal (Flamengo) e na disputa do terceiro lugar (Minas).


Lucas Mariano em ação pelo São Paulo contra o Minas, de JP Batista. Foto: LNB/Divulgação

Qual lição o São Paulo tira da queda na Champions League das Américas?
A derrota na Champions foi muito dura. Estávamos confiantes demais que chegaríamos na final, mas fizemos um jogo atípico. Ficamos chateados demais, fizemos uma reunião para discutir os nossos erros e estamos cientes da nossa responsabilidade. Estamos trabalhando forte para chegar bem nos playoffs e conquistar esse tão sonhado título.

O que fazer de diferente para superar Flamengo e Minas, que, muito provavelmente, vão cruzar o caminho novamente do São Paulo nos playoffs do NBB?
Vejo nosso time muito igual ao Flamengo e o Minas, que aparecem como os favoritos, mas precisamos mostrar isso em quadra, marcando e fazendo o nosso jogo e impor o nosso ritmo. Mas também há outras equipes fortes, que merecem ser respeitadas.

Como avalia o desempenho da equipe até aqui no NBB?
Estou muito feliz com a atuação da equipe até aqui. Vejo o São Paulo como um dos favoritos ao título, fizemos uma boa fase de classificação, mostramos nossa força e agora precisamos mudar a chave. Saber que é mata-mata, todos os jogos serão duros, mas temos tudo para caminhar bem até a final.

E o seu desempenho individualmente?
Sobre meu desempenho, estou muito feliz por saber que consegui ajudar bem a equipe durante a temporada e isso dá mais confiança para esse momento decisivo que entramos no NBB.

Como vê seu nome entre os cotados para receber o prêmio de MVP?
Fico muito feliz em saber que estou cotado para o MVP e acredito que seja realmente a minha melhor temporada. Agora é mudar a chave, querendo jogar ainda melhor nos playoffs para ganhar esse título, que seria importante demais para o projeto do São Paulo.

O que está achou do formato do NBB, com etapas sediadas, inclusive agora nos playoffs?
Acho que foi incrível. Conseguimos fazer todos os jogos, tivemos alguns adiamentos, mas no fim, deu tudo certo. Mesmo no meio dessa situação triste que o mundo todo está vivendo, estamos conseguindo jogar e fazer o que mais a gente ama. Lógico, respeitando todos os protocolos e seguindo rigorosamente o que determina o NBB.

Com este momento complicado (pior até aqui) da pandemia no Brasil, os jogadores realmente se sentem seguros?
A gente se sente seguro, sim. Estamos nos cuidando. Tivemos um surto aqui (no São Paulo), mas está todo mundo bem. Tem que manter todos os protocolos, usar álcool em gel, máscara e respeitar todas as determinações. O São Paulo tem feito um trabalho muito bom nesse sentido e isso nos faz sentirmos seguros.

Falando um pouco do Botafogo, sua ex-equipe, ainda há alguma pendência? Você passou aperto como outros jogadores, que foram até despejados por não pagar o aluguel?
Sobre o Botafogo, eu não gosto nem de comentar. É algo que já passou. Fico feliz que todo mundo que jogou naquele time está jogando bem e com saúde. Ficou marcado o título do Sul-Americano e agora estou feliz no São Paulo.

E seleção? Tem esperança de defender o Brasil no pré-olímpico?
Tenho esperança de defender a seleção no pré-olímpico sim. Espero mostrar para o Petrovic que estou bem fisicamente e tecnicamente e se eu tiver uma oportunidade, espero defender bem a camisa da nossa seleção.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.