ENTREVISTA: Huertas quer o título da Euroliga
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

ENTREVISTA: Huertas quer o título da Euroliga

Marcius Azevedo

15 de maio de 2014 | 14h28

A cidade de Milão, na Itália, recebe a elite do basquete europeu a partir desta sexta-feira, com o início do Final Four da Euroliga. Os rivais Barcelona e Real Madrid fazem uma das semifinais. A outra será entre CSKA Moscou, da Rússia, e Maccabi Tel Aviv, de Israel.

O blog entrevistou por e-mail o armador Marcelinho Huertas, do Barcelona, único representante brasileiro na disputa deste importante título de clubes. O campeão, que terá o Flamengo como adversário na decisão do Mundial de Clubes, será conhecido no domingo.

Qual a expectativa para o clássico contra o Real Madrid?

Será um grande jogo, difícil, reunindo duas equipes que se conhecem bastante e que estarão lutando muito para chegar à decisão da Euroliga.

Você costuma se destacar nos jogos contra o Real Madrid. É sempre uma motivação especial enfrentar um rival?
Jogar uma semifinal da Euroliga, vestindo a camisa do Barcelona é sempre muito motivante por si só. É claro que o clássico espanhol nesta semifinal ajuda a motivar ainda mais, devido à história do confronto entre os dois times.

Como prevê o duelo contra os armadores Rudy Fernandez e Sergio Llull?
São dois grandes jogadores, com muitas qualidades, mas quero fazer o meu jogo, trabalhando bem a equipe do Barcelona no ataque e procurando marcá-los forte na defesa.

Qual o favorito do outro lado? CSKA Moscou ou Maccabi Tel Aviv?
É difícil apontar um favorito, pois quem chega à semifinal de uma competição como a Euroliga, certamente está credenciada para ir a final.

Como você vê um possível confronto contra o Flamengo (atual campeão da Liga das Américas) no Mundial de Clubes?
Seria uma coisa bem legal, no entanto, estamos focados exclusivamente neste duelo contra o Real Madrid. Nunca conquistei o título da Euroliga e a vontade de ganhar é grande.

Você recebeu recentemente a visita do Ruben Magnano, técnico da seleção brasileira. Se vê garantido no grupo que vai ao Mundial da Espanha?
Essa é uma decisão que cabe ao treinador. Vou seguir fazendo o meu trabalho aqui no Barcelona para que esteja na lista de convocados.

Hoje o Brasil está bem servido no garrafão, mas sofre para encontrar um reserva à altura para você… A responsabilidade é maior por causa disso?
A responsabilidade de vestir a camisa da seleção brasileira é sempre grande, isso não muda. Creio que temos outros grandes jogadores na posição.

Você acredita que é necessário aparar arrestas com os jogadores que atuam na NBA para que o Brasil possa ter um bom rendimento no Mundial?
O Magnano se encontrou com todos os jogadores brasileiros que atuam no exterior e isso é importante para deixar tudo certinho para o momento da convocação.

A Espanha já está mobilizada para receber o Mundial de basquete?
Sim, a medida que a competição se aproxima, o interesse e as informações vão aumentando também.

Você ainda tem expectativa de jogar na NBA?
Na verdade, eu estou focado no Barcelona, equipe que defendo.

Marcelinho Huertas comanda o Barcelona contra o Real Madrid (VÍCTOR SALGADO /FCB)

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteEuroligaMarcelinho Huertas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: