As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Federação Paulista de Basquete publica errata e amplia prazo para inscrição de chapas em eleição

Oposição se revolta com atitude de Enyo Correia; eleição será no dia 20 de dezembro

Marcius Azevedo

09 de dezembro de 2019 | 22h48

A Federação Paulista de Basquete, na figura do presidente Enyo Correia, publicou nesta segunda-feira uma errata em seu site sobre o edital de convocação da assembleia geral ordinária eletiva. As chapas agora podem se inscrever até o dia 16 de dezembro para o pleito que irá ocorrer quatro dias depois. O processo eleitoral visa escolher o presidente e os diretores da entidade para o próximo quadriênio.

No documento original, publicado nos dias 7, 8 e 9 de dezembro nas páginas do jornal ‘O Dia SP’, o prazo se encerraria nesta segunda-feira, o que irritou os opositores. Apesar disso, o grupo de oposição, composto por Marco Antonio Aga, Antonio Souza e Paulo Tadeu, conseguiu protocolar o pedido de inclusão da chapa na eleição.


Enyo Correia, presidente da FPB. FOTO: Divulgação/FPB

“Tenho certeza que os clubes não irão aceitar essas ações que estão sendo feitas pelo atual presidente da Federação Paulista, que almeja seguir no cargo para que não ocorra uma avaliação mais apurada das suas contas”, afirmou Aga, que é vice-presidente da FPF.

“O basquete do Estado de São Paulo precisa recuperar o respeito e o espaço que perdeu nos últimos anos, por isso, faço um apelo a Confederação Brasileira de Basquete, ao Comitê Olímpico do Brasil, ao Ministério competente e a Justiça, para que providencias sejam tomadas em decorrência das irregularidades que estão ocorrendo na entidade máxima do basquetebol paulista”, completou.

Segundo Antonio Souza, Enyo Correia tomou mais uma decisão fora dos preceitos éticos. “Marcar a próxima eleição para o período bem próximo do recesso de final de ano, querendo se beneficiar dos prazos curtos que estão sendo disponibilizados para que outras chapas não tenham tempo hábil de participar democraticamente do processo eleitoral, é mais uma ação antiética e que demonstra receio”, afirmou.

Já Paulo Tadeu lembra que a Federação Paulista teve apenas divulgações negativas nos últimos meses. “Não podemos esquecer que o atual presidente foi indiciado por estelionato e outros crimes que estão sendo investigados pelo Ministério Público, devido ao escândalo dos boletos emitidos em nome da FPB, mas com a conta de destino de uma empresa de sua propriedade. O processo está em vigência, salvaguardado pelo Segredo de Justiça”, disse.

O indiciamento do presidente da FPB foi divulgado com exclusividade pelo blog. A quebra do sigilo bancário da entidade e da empresa em nome de Enyo Correia foram pedido. A investigação continua no 65º Distrito Policial de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.